Menu

quarta-feira, 3 de janeiro de 2018

O que fazer em Eilat, a cidade mais ao sul de Israel

A nossa ida até a cidade israelense de Eilat teve um objetivo muito bem definido: atravessar a fronteira entre Israel e Jordânia, localizada na cidade e considerada a mais tranquila para fazer a travessia e, assim, poder seguir rumo a Petra.

No dia em que chegamos a Eilat, vindos de Jerusalém, seguimos direto para a fronteira. No entanto, no retorno da Jordânia, permanecemos uma tarde na cidade e dormimos por lá para seguir para Tel Aviv no dia seguinte. Então pudemos explorar um pouquinho do lugar.

A grande atração da cidade é o Mar Vermelho que a banha. Presente no imaginário popular devido às referências bíblicas ao mesmo, a gente acaba não resistindo a, pelo menos, colocar os pés em águas tão famosas. 

Eilat, uma cidade balneária ao sul de Israel, banhada pelo Mar Vermelho

O interessante é que o Mar Vermelho não banha apenas Eilat, mas também a cidade vizinha Aqaba, já pertencente à Jordânia, de modo que da praia, em Eilat, é possível ver a orla jordaniana.

A orla presente do outro lado, às margens das montanhas, pertence à cidade jordaniana de Aqaba. Percebam a bandeira da Jordânia na foto.

Já a oeste de Eilat, o Mar Vermelho banha o Egito e muitos turistas entram em Israel a partir deste país, seguindo, muitas vezes, diretamente para a Jordânia em busca de Petra. Ou seja, Eilat é praticamente uma intermediária israelense para quem vem ou vai para a Jordânia, atravessando a fronteira até Aqaba ou para o Egito, atravessando a fronteira até a cidade balneária de Taba.

O Mar Vermelho banhando Israel na sua extremidade norte, Jordânia, ao leste e Egito, a oeste. A cidade de Eilat, que ocupa toda esta região fronteiriça de Israel, faz fronteira com as cidades de Aqaba, na Jordânia, e Taba, no Egito. É possível fazer a travessia para ambas cidades. Ao sul, a Jordânia faz fronteira com Arábia Saudita, também banhada pelo Mar Vermelho.

Embora pequena, Eilat tem boa estrutura turística, apresentando um aeroporto e um terminal rodoviário, shopping centers e muitos hotéis de frente para o mar. É aquele tipo de cidade litorânea para onde a população costuma fugir em busca de praia.

E, obviamente, a praia de Eilat foi o nosso foco por lá. Mantendo a tradição do país de praias bem estruturadas, assim como vimos em Tel Aviv, em Eilat, há muitas barracas para proteger os banhistas do sol, espreguiçadeiras que podem ser usadas sem a obrigatoriedade de se consumir nada (nós nem mesmo fomos abordados por nenhum garçom) e chuveiros de água doce espalhados.

Eilat possui praias com excelente estrutura para o turista


North Beach, uma das principais praias de Eilat


Percebam que a areia da praia não é como estamos acostumados no Brasil

Podemos citar duas praias principais na cidade (seu litoral não é extenso): North Beach e Coral Beach. A primeira foi a que escolhemos por ser mais próxima de onde estávamos hospedados. 

Em North Beach, além da faixa de praia e dos hotéis de frente para o mar, há uma grande estrutura comercial, com muitas lojas ao longo de um bem cuidado calçadão. E logo no início da praia está o Mall Hayam, um dos shopping centers de Eilat.

Mapa mostrando North Beach. Percabem o shopping Mall Haymam logo no início da praia. Nela, há também a Marina da cidade e uma comunicação do mar com uma pequena lagoa.


Calçadão em North Beach

Lojas ao longo do calçadão. Quem estava estampando várias propagandas nas vitrines de algumas lojas era Gal Gadot, atriz israelense que interpretou Mulher-Maravilha dos cinemas e que é modelo lá em Israel.

Marina em North Beach



Pequena lagoa que se comunica com o Mar Vermelho em North Beach


Não resisti, claro, e resolvi entrar no Mar Vermelho. Ao contrário de Tel Aviv, em que achei a temperatura da água bem agradável, em Eilat, ela estava bem mais fria, mas nada que impedisse o banho (até porque o dia estava bem quente). Há pouquíssimas ondas (do jeito que eu gosto), mas, infelizmente, há um inconveniente: muitas e muitas águas-vivas. Nunca vi tantas em uma praia. E acabei passando pouco tempo na água com medo de sofrer alguma queimadura.

Enquanto eu entrava na translúcida e azulada água do Mar Vermelho...

Técio curtia a sombra da praia...


E fazia amigos!

Sobre o motivo do Mar Vermelho ter recebido este nome, obviamente, não teve nada a ver com a sua cor. Há mais de uma teoria para tentar dar alguma explicação, na verdade. Ou seja, ninguém sabe...

Uns dizem que é devido à presença de um tipo de alga que, em determinadas circunstâncias, deixam partes da superfície do mar vermelha, mas esta espécie de alga parece ser rara por ali. Outros dizem que é por causa das montanhas ricas em ferro que margeiam o mar  e dão ao solo uma cor avermelhada.

Já eu, lancei a teoria de que é por causa das queimaduras causadas por aquele monte de águas vivas. Sério, não consigo esquecer como eram muitas. Será que é assim durante todas as épocas do ano?

O Mar Vermelho que, na verdade, é azul

Não fomos em Coral Beach, mas ela fica mais ao sul e já próxima à fronteira com o Egito. E é para lá que seguem os turistas que pretendem realizar uma das atividades mais populares de Eilat: a prática do mergulho. O nome da praia já indica o motivo, não é mesmo? A ótima transparência da água do Mar Vermelho aliada aos belos corais da região, acabaram popularizando o mergulho (com ou sem cilindro) por lá.

Há várias agências na cidade que oferecem o mergulho. 

E, assim como em Eilat, é possível também mergulhar em Aqaba. A água é tão translúcida quanto e os recifes de corais, além da rica vida marinha, está por lá também.

Infelizmente, por um problema no ouvido, não posso mergulhar, de modo que não experimentamos este tipo de passeio em nenhuma das duas cidades.

Como chegar a Eilat?

Como falei acima, há tanto aeroporto quanto terminal rodoviário na cidade, de modo que você pode chegar lá de avião ou de ônibus. Sinceramente, não vejo necessidade de se gastar mais com um voo, uma vez que Israel é um país pequeno e dá tranquilamente para ir de ônibus, partindo de Jerusalém ou de Tel Aviv.

No nosso caso, compramos a passagem pela companhia de ônibus Egged (infelizmente, não me recordo do valor), no Terminal Rodoviário de Jerusalém, de onde partimos no primeiro horário da manhã. Após cerca de 4:30h chegávamos a Eilat. E a viagem só não é mais rápida porque o ônibus vai parando em vários pontos do caminho enquanto margeia o Mar Morto.

E se você quiser combinar sua ida a Eilat com uma parada no Mar Morto, você pode descer em Ein Bokek, flutuar no mar mais salgado do mundo e depois pegar o próximo ônibus até Eilat. Ou então dormir em Ein Bokek e seguir para Eilat no outro dia (considerando que, na primeira opção, você não terá onde deixar a bagagem). Dou mais detalhes  no post em que falo sobre Ein Bokek e o Mar Morto.

O caminho de Jerusalém a Eilat vai margeando o Mar Morto e você pode até considerar fazer uma parada por lá

Se você estiver em Israel de carro, pode ir dirigindo tranquilamente até Eilat. Se você se dirigir sempre ao sul, não há como chegar em outro local além da cidade balneária.

O sistema ferroviário de Israel não abrange Eilat.

E lembre-se que durante o shabat (entre o por do sol da sexta e o por do sol do sábado), os ônibus não funcionam no país, de modo que só sobra o avião ou o carro alugado para se dirigir ao sul de Israel.

Onde se hospedar em Eilat?

Se eu tiver que escolher um lugar, obviamente, vou indicar algum hotel na orla de Eilat, já que ela é uma cidade basicamente voltada ao turismo litorâneo. No entanto, como nem sempre o bolso nos deixa fazer as melhores escolhas, você pode se hospedar em algum hotel mais simples e mais afastado da praia.

Foi o que nós fizemos. E dois motivos principais nos levaram a esta escolha: nosso pouco tempo por lá e o tamanho pequeno da cidade, que nos permitiu ir caminhando, tranquilamente, até a orla.

Ficamos hospedados no Arava Hostel, em um quarto com banheiro privativo. O quarto era bem simples, mas estava limpo e foi o suficiente para apenas uma noite. Como vantagem, ficava relativamente perto ao terminal rodoviário, o que permitiu que fôssemos caminhando com nossas malas até lá para pegar o ônibus para Tel Aviv no dia seguinte.

Então, se você gosta de praia e, especialmente, de mergulho, acredito que vale à pena passar pelo menos um dia em Eilat, e não fazer dela apenas uma passagem. 

Interessante que eu nunca havia pensado em Israel como um local para fazer este tipo de turismo. Engraçado como sempre temos ideias pré-concebidas sobre os países antes de visitá-los, não é mesmo? Em geral, sempre acabamos sendo surpreendidos.




OBS:
1. Este post não recebeu nenhum tipo de patrocínio

Nenhum comentário:

Postar um comentário