Menu

domingo, 24 de fevereiro de 2019

Nosso passeio pela encantadora Rothenburg ob der Tauber

De todas as cidades que compõem a Rota Romântica da Alemanha, uma se destaca pelo título que a acompanha: a de ser a mais bela cidade da estrada cênica. Claro que só isso já cria uma grande responsabilidade e eleva as expectativas de qualquer turista lá pra cima.

A boa notícia é que a cidade é, realmente, muito bonita e honra seu título. Dificilmente, você se decepcionará em conhecê-la. Só não a achamos a mais bonita, já que Dinkelsbühl, ao nosso olhar, a superou. Mas isto é, obviamente, uma questão muito subjetiva. 

Rothenburg ob der Tauber

Rothenburg ob der Tauber pode ser visitada tanto durante um trajeto pela Rota Romântica, quanto de uma bate-e-volta a partir de Frankfurt (a 177 Km de distância) ou de Munique (a 254 Km). Se quiser conhecer a cidade com mais calma, você pode se hospedar por lá.

sábado, 23 de fevereiro de 2019

Nördlingen e Dinkelsbühl: duas charmosas cidades da Rota Romântica alemã

No nosso último dia percorrendo a Rota Romântica na Alemanha, já havíamos nos apaixonado por Füssen, realizado o sonho de ver de perto o Castelo de Neuschwanstein, percorrido as encantadoras ruas de Landsberg am Lech e visitado o Castelo e Harburg. Mas as surpresas do caminho ainda não haviam terminado.

Nördilingen e Dinkelsbühl, duas pequenas cidades que mantêm completamente preservada a sua muralha medieval em torno da sua parte histórica, ainda estavam no nosso caminho.

Dinkelsbühl

Visitando Nördlingen


Quando li na internet que esta antiga cidade medieval havia sido construída dentro de uma cratera formada pela queda de um meteorito há muitos anos, não tive dúvida: nós tínhamos que visitar a cidade apenas por esta curiosidade. Como se não bastasse, Nördlingen ainda se  mostrou ser mais uma bela e charmosa cidadezinha da Rota Romântica.

Nossa visita à pacata cidadezinha alemã de Harburg

Ainda em terras da Baviera, a cerca de 160 Km da cidade de Füssen, onde havíamos iniciado o percurso pela Rota Romântica alemã, encontra-se a pequena Harburg, um antigo vilarejo medieval que surgiu nas proximidades de um castelo, cuja sabida existência vem do distante século XII.

Desta forma, o Castelo de Harburg corresponde a um dos castelos mais antigos do sul da Alemanha e uma das principais atrações da Rota Romântica. Localizado em uma parte mais elevada do que a cidade, ele pode ser visto de vários pontos do vilarejo.

Harburg. Na parte alta da cidade, vê-se uma parte do seu castelo.

A maioria dos turistas, no entanto, acabam pulando a cidade e conhecendo apenas o castelo. Realmente, há muito pouco para se ver em Harburg além do seu castelo. Mas, em compensação, você pode visitar o centro da cidade em um piscar de olhos.

No nosso caso, Harburg foi a cidade onde escolhemos nos hospedar na nossa segunda noite pela Rota Romântica, de modo que foi inevitável conhecê-la mais de perto. E exatamente por ser menos turística do que outras cidades da rota, acabamos tendo uma experiência bem mais autêntica. 

quinta-feira, 21 de fevereiro de 2019

Visitando Landsberg am Lech na Alemanha

Construída às margens do rio Lech, na Alta Bavaria, há uma pequena e charmosa cidade conhecida como Landsberg am Lech e que faz parte da panorâmica Rota Romântica alemã. Partindo do Castelo de Neuscwanstein no sentido norte é a próxima cidade de maior impacto visual da rota, já que as outras localizadas no caminho não chegam a ser tão marcantes.

Por isso, foi para Landsberg que seguimos logo após deixar Neuscwanstein. Pela pesquisa que eu havia feito na internet, foi uma das cidades que eu havia selecionado para conhecer. E já adianto que valeu muito à pena, já que amamos cada recanto da cidade.

Landsberg am Lech

quarta-feira, 20 de fevereiro de 2019

Como visitar o Castelo de Neuschwanstein

Foi na segunda metade do século XIX, após assumir o trono do reino da Baviera, que Luís II teve a ideia (considerada insana por muitos) de construir um enorme castelo no meio de uma paisagem de tirar o fôlego e bem próximo ao Castelo de Hohenschwangau, onde o monarca crescera. E porque esta ideia foi considerada insana?

Talvez a primeira resposta seja pelo fato desta construção não ser exatamente necessária para o reino. Mas, estimulado pela sua excentricidade, Luís II resolveu gastar não apenas o dinheiro do reino mas o seu próprio na construção de um castelo aos moldes da superada Idade Média e que fizesse jus ao mais lúdico dos contos de fada.

O Castelo de Neuschwanstein 

A referência principal utilizada pelo rei para idealizar o castelo foi a obra musical do compositor Richard Wagner, de forma que várias salas do castelo são decoradas em homenagem às histórias que permeiam as óperas do músico e até o próprio nome Neuscwanstein (Cavaleiro do Cisne) foi dado em homenagem a Lohengrin, personagem de uma destas óperas. Não à toa, Luís II contratou um cenógrafo de peças teatrais e não um arquiteto para desenhar o modelo do castelo.

Para completar, o rei ainda mandou construir, na mesma época, dois outros palácios, o de Linderhof (falo sobre ele no post: Como é a visita ao Palácio de Linderhof) e o de Herrenchiemsee. Realmente, não tinha dinheiro que desse. E foi exatamente isto que os ministros do rei utilizaram para declará-lo insano e aprisioná-lo em seu próprio castelo. 

Infelizmente, pouco tempo depois, o monarca foi encontrado morto em circunstâncias misteriosas, não tendo visto a finalização do Castelo de Neuschwanstein. Hoje, esta obra é uma das principais atrações turísticas do país, movimentando o turismo na região da Baviera. Walt Disney utilizou o castelo para se inspirar na idealização do Castelo da Cinderela. E o monarca se tornou uma figura histórica muito querida atualmente entre os habitantes da Baviera. Talvez, ele fosse mais um visionário do que um louco.

sábado, 16 de fevereiro de 2019

Füssen: apenas uma base ou vale à pena explorar a cidade?

Caso não fosse sua proximidade com o Castelo de Neuschwanstein, talvez Füssen não fosse tão visitada quanto é hoje, já que a cidade acaba servindo de base para quem está indo conhecer a famosa atração alemã. Além disso, Füssen faz parte da Rota Romântica, uma das estradas mais percorridas do país. Na verdade, a cidade se encontra na extremidade sul desta rota, dando início ou finalizando o trajeto (a depender do sentido escolhido pelo viajante). 

A dúvida que fica é: Füssen funciona apenas como base para quem vai visitar o castelo ou fazer a Rota Romântica? Ou ela tem seu encanto e vale à pena ser explorada?

Já li e ouvi muitos relatos de que Füssen não tem graça. Talvez, esta impressão seja mais comum entre aqueles que fazem a rota no sentido norte-sul e, assim, já após conhecer inúmeras outras pequenas cidades do trajeto, acabam não se impressionando tanto com Füssen. Ou talvez seja apenas questão de gosto pessoal mesmo.

No nosso caso, nós adoramos a cidade. Foi, inclusive, a cidade preferida da rota da irmã e prima de Técio que viajavam conosco. Mas o que a cidade tem demais?

Füssen

domingo, 10 de fevereiro de 2019

Como organizar um roteiro pela Rota Romântica da Alemanha

Um total de 28 cidades compõe a chamada Rota Romântica (ou Romantische Straße, em alemão), uma estrada do sul da Alemanha que, em sentindo vertical, corta dois estados do país: Baden-Württemberg, ao norte, e Baviera (ou Bavaria), ao sul, por cerca de 380 Km. As belas paisagens desta última unidas ao charme dos muitos vilarejos pelo caminho, transportam o turista para um verdadeiro cenário de conto-de-fadas, justificando a alcunha recebida pela rota.

Para completar, a rota ainda pode ser finalizada ou iniciada (dependendo do seu ponto de partida) com o magnífico Castelo de Neuschwanstein, um dos maiores marcos turísticos da Alemanha, devido não apenas à sua beleza arquitetônica mas também ao cenário em que está inserido.

O majestoso Castelo de Neuschwanstein, que marca o início ou o fim (a depender do sentido escolhido) da Rota Romântica alemã


Mas ao se decidir conhecer a Rota Romântica alemã, uma série de dúvidas invade a mente do viajante: Eu preciso conhecer todas as cidades? Quais priorizar? Em que sentido fazer a rota, norte-sul ou sul-norte? É preciso alugar um carro? Onde se hospedar ao longo da rota? E quantos dias são necessários para percorrê-la?