Menu

sábado, 2 de janeiro de 2016

Conhecendo o Castelo de Praga

A segunda parte do nosso passeio durante o nosso primeiro dia em Praga se resumiu a uma visita ao castelo da cidade, após termos passeado pela Cidade Velha, visitando o Relógio Astronômico e atravessado a Ponte Carlos (o relato da primeira parte desse dia pode ser lido aqui). Também forneci, neste primeiro relato, a informação de como se chegar, a pé, ao castelo, que fica localizado no alto de uma colina (a Colina Hradcany, onde Praga foi fundada) na Cidade Baixa (Malá Strana) de Praga.

O Castelo de Praga visto a partir da Cidade Velha


Atual sede da presidência do país, o Castelo de Praga é, na verdade, um complexo que inclui palácios, jardins e igrejas, além de fornecer uma privilegiada e belíssima vista da parte histórica da cidade. E a boa notícia é que não é preciso pagar para acessar a área do complexo nem para se chegar nos pontos que funcionam como uma espécie de mirante para a Cidade Velha. Você pode, após o trajeto indicado no mapa abaixo, entrar no complexo, para admirar a vista enquanto descansa, caminhar pelos seus pátios, ver a incrível catedral de St Vito, localizada em seu interior, e sair do complexo sem gastar um tostão. No entanto, para se ter acesso ao interior das construções e à chamada Golden Lane, uma antiga rua com simpáticas casas onde moravam aqueles que não faziam parte da nobreza, é preciso comprar um ingresso específico.


Indo da Catedral de St Nicolas na Cidade Baixa até o Castelo de Praga


Abaixo, uma mapa adaptado do castelo, retirado do site oficial do mesmo:


Mapa do Castelo de Praga retirado do site oficial do mesmo. As setas indicam o local de início do passeio e a localização da bilheteria para se ter direito aos diferentes tipos de tours oferecidos pelo complexo turístico.
Legenda: I - Antigo Palácio Real; II - Exibição "The Story of the Prague Castle; III - Igreja de St George; IV - Exibição "The Treasury of the St Vitus Cethedral"; V - Golden Lane; VI - The Pictury Gallery; VII - Torre da Pólvora; VIII - Catedral de St Vitus; IX - Palácio de Rosenberg; X - Torre Sul da Catedral; 1 - Royal Garden; 2 - The Southern Gardens; 3 - Stag Moat


Uma desvantagem de se visitar o castelo nos meses mais frios (o período de 1 de novembro a 31 de março) é que seus jardins estão fechados para visitação, exceto o The Garden on the Bastion, que permanece aberto durante todos os meses do ano. Mas, mesmo com os jardins fechados, uma visita ao castelo durante o inverno vale muito à pena, seja pela vista ou pela oportunidade de conhecer a imponente catedral de St Vito e a charmosa Golden Lane. E, caso seja do seu interesse, a troca da guarda pode ser assistida diária e pontualmente ao meio dia.



Vista da Cidade Baixa a partir do castelo de Praga










Entrando no complexo do Castelo de Praga



Reserve pelo menos um turno do seu dia, caso opte por fazer um dos tours que seguem por dentro das construções históricas do castelo. Para visitar o interior dessas construções, há 3 tipos de tickets:

1. Circuit A - permite a visita aos seguintes locais: Antigo Palácio Real, Catedral de St Vito, Igreja de St George, Golden Lane, Torre da Pólvora (uma outra torre, diferente daquela de mesmo nome encontrada na Cidade Velha), Palácio de Rosenberg; e à exibição "The Story of Prague Castle". Custa 350 CZK.

2. Circuit B - mais curto e mais barato que o anterior: inclui as mesmas atrações do Circuit A, com exceção da Torre da Pólvora, do Palácio de Rosenberg e da exibição. Custa 250 CZK.

3. Circuit C - permite  visitar a exibição "The Treasure of St Vitus Cathedral" e a Galeria de Pinturas do Castelo de Praga. Custa 350 CZK.

Vale ressaltar que uma taxa extra de 50 CZK deve ser paga se você quiser fotografar o interior dessas atrações (lembrando que a foto não pode ser tirada com flash).

Escolhemos o Circuit B, por ser mais curto e mais barato. Mesmo assim, acredito que demoramos mais de 2 horas no interior do complexo para poder dar conta de tudo. Portanto, reforço a necessidade de separar uma boa parte do seu dia em Praga para visitar o castelo.

Começamos pela Catedral de St Vito, seguindo o caminho mais lógico indicado no mapa do castelo acima. Esta enorme catedral, que, pela sua imensidão, já nos chamava a atenção desde a Cidade Velha (sempre que a gente olha para o castelo ao longe, é a catedral que sempre se destaca. Impossível não percebê-la!!), começou a ser construída em 1344, mas só teve sua construção finalizada no século passado, em 1929. Dá para imaginar esse tempo todo construindo uma catedral? Obviamente, ao longo dos séculos, os seus arquitetos e construtores foram morrendo e sendo, inúmeras vezes substituídos. E, não à toa, a catedral acabou incorporando diferentes estilos arquitetônicos, à medida que acompanhava as mudanças de tendências no decorrer do tempo. Esta característica fica bem evidente ao se analisar os vitrais de suas janelas, cujos mosaicos se diferem bastante em estilo. Da mesma forma, é possível perceber as partes mais antigas da estrutura da catedral convivendo com aquelas construídas mais recentemente. E, embora a descrição possa evocar uma imagem caótica da catedral para quem lê, toda essa mistura  me pareceu não apenas curiosa mas bastante charmosa aos meus olhos (e nem espere perceber isso pelas fotos abaixo. Vá pessoalmente que garanto que não irá se arrepender!).

Catedral de St Vito



Só lembrando: você pode admirar o exterior da Catedral de St Vito, entrando no complexo do castelo sem custo algum, mas precisa adquirir ou o circuito A ou o B citados acima para poder admirar o interior da catedral.

Logo após nossa visita à maior igreja da República Tcheca, seguimos em direção ao Antigo Palácio Real. Logo ao entrar, nos deparamos com aqueles típicos salões reais, nos quais os nobres se aglomeravam em frente ao rei e sua família. Impossível, não imaginar o salão cheio. A nobreza toda presente nos seus trajes típicos. Alguns conspirando contra a família real, outros sonhando em casar suas filhas com o príncipe herdeiro. Senti-me dentro de um episódio de Game of Thrones!!

Aqui, também, podemos ver expostas as Jóias da Coroa da Boêmia (ou melhor, as suas cópias): a Coroa de São Venceslau, o cetro e a orbe, cravejados de pedras preciosos. Considerados importantes patrimônios nacionais, as originais encontram-se guardadas na Catedral de St Vito, em um cofre com sete chaves. Em uma tradição existente desde o século XVIII, cada chave fica em propriedade de um integrante importante do governo, entre os quais, atualmente, pode-se citar o presidente, o primeiro-ministro e o arcebispo, entre outros. Eles realmente devem ter muito medo de que roubem essa coroa!!

Antigo Palácio Real


Jóias da Coroa da Boemia

Coroa de São Venceslau


Depois seguimos para a Igreja de St George, uma igreja bem menor que a catedral, mas que chama a atenção por ter uma parte que mais parece um sítio arqueológico de tão antiga. Afinal, sua origem remonda do ano de 973. No entanto, das atrações inclusas do circuito B me pareceu a menos interessante.

Igreja de St George




Saindo desta última igreja (já deu para notar que Praga é uma cidade bem católica, não é mesmo? haja igreja!!), seguimos para umas das partes mais charmosas e interessantes do Castelo de Praga: a Golden Lane, uma ruazinha super simpática, cujas pequenas casas parecem ter saído diretamente de alguma cidade medieval de algum filme de fantasia ou aventura. Só lembrando que não é possível acessar esta área sem ter comprado o ingresso.

Golden Lane, meu lugar favorito dentro do Castelo de Praga






Caminhando pela Golden Lane, você pode entrar nas apertadas casinhas que compõem a rua. Todas coladas umas nas outras e com um teto bem baixo (a ideia que se tem na hora é que realmente as pessoas na Idade Média eram bem mais baixas). Todas as casas estão decoradas de acordo com o indivíduo que viveram ali (em geral, serventes da realeza). Em uma das casas viveu um membro da guarda real. Em outra, uma famosa cartomante, que foi morta pelos nazistas após prever a queda do seu líder. Pelos nazistas? Mas esta não era uma rua típica da Idade Média? Sim, mas foi habitada até o período da Segunda Guerra Mundial, tendo servido de morada, inclusive, para um dos filhos de Praga que mais deu orgulho à cidade: o escritor Franz Kafka.

Casa onde morou Kafka, na Golden Lane






Kafka habitou a casa de número 22 entre os anos de 1916 e 1917. Atualmente, nela funciona uma espécie de livraria com obras do escritor. Para quem não sabe, Kafka teve pouco reconhecimento em vida. Apenas após sua morte, em 1924, sua obra ganhou notoriedade, transformando-o em um dos escritores mais influentes do século XX. E Praga se orgulha bastante disso. Uma de suas casas tornou-se ponto turístico. Um museu em sua homenagem foi construído. Estátuas que fazem referência a sua obra foram erguidas.

O primeiro andar das casas da Golden Lane são interligadas e abrigam, atualmente, uma espécie de museu medieval, com a exposição de vários tipos de armas e armaduras da época. Mas para quem conhece a coleção do Instituto Brennand (muito maior e diversificada), em Recife, esse passeio pode desapontar um pouco.

Subindo para o primeiro andar das casas na Golden Lane




Na última casa, onde parece ter vivido um cinegrafista da época, é possível assistir a uma projeção com imagens do castelo e da cidade de Praga no início do século XX. E, logo após sair da Golden Lane, é possível visitar a Torre de Daliborka, onde funcionava uma antiga prisão, sendo possível ver alguns objetos de tortura expostos.

Chegava, assim, ao fim, o nosso delicioso passeio pelo Castelo de Praga, com destaque para a imponente Catedral de St Vito e para a simpática Golden Lane. Infelizmente, não sei dizer se uma visita à Torre da Pólvora e ao Palácio de Rosenberg, que fazem parte do circuito A, valem à pena. Mas garanto que, se você tiver pouco tempo ou quiser economizar, o circuito B já é suficiente.

Ainda na saída do complexo, você irá ver o Museu do Brinquedo. A entrada é bem barata, 70 CKZ, e eu estava bem curioso para conhecer. Infelizmente, a esta altura, eu estava com uma dor já insuportável na perna esquerda devido a lesão muscular que sofri em Viena no início da viagem (e que conto aqui). Portanto, resolvi voltar ao hotel e descansar um pouco, já que teríamos um show para ir naquela noite. Madonna estava fazendo sua turnê pela Europa e, como estaria em Praga no mesmo dia que nós, aproveitamos para ir ao show.

Museu do Brinquedo, localizado na saída do Castelo de Praga

Saímos do complexo do castelo descendo uma ladeira e já saindo bem próximo ao rio Moldava. Atravessamos o rio por uma ponte vizinha à Ponte Carlos e seguimos caminhando pelas belas ruas da Cidade Velha em direção ao nosso hotel.

Retornando para a Cidade Velha, enquanto apreciávamos mais da Ponte Carlos e do rio Moldava

À noite, seguimos para a casa de espetáculos onde ocorreria o show. E como seria de se esperar de um país desenvolvido, o acesso foi bem fácil utilizando o metrô, descendo em uma estação bem em frente ao local do show. Tudo muito seguro e organizado. Assistimos ao show junto a inúmeros tchecos  e habitantes de outros países da Europa Central, um povo bem mais contido do que os brasileiros diante de uma grande popstar. Foi uma experiência interessante.

Obviamente, terminamos o dia exaustos e só nos restava descansar para continuar nos aventurando pelas belezas de Praga no dia seguinte. Mas aí já é assunto para o próximo post.

PARA SE PLANEJAR:

1. Castelo de Praga

Horário de funcionamento: o complexo do castelo abre das 6 às 22h todos os dias do ano / os prédios históricos abrem das 9 às 17h de 1 de abril a 31 de outubro e das 9 às 16h de 1 de novembro a 31 de março (última entrada, no entanto, só é permitida até 20 minutos antes do fechamento)
Entrada: Circuit A - 350 CZK / Circuit B - 250 CZK / Circuit C - 350 CZK / algumas construções e exibições podem ser visitadas de forma isolada apresentando preços individuais (checar no site oficial)
Como chegar: a pé, estando na Cidade Baixa (ver no mapa acima, adicionado ao post) ou utilizando o tram de número 22 (não há estação de metrô próxima ao castelo)


OBS:
1. Os preços indicados neste post correspondem aqueles em vigência na época da viagem. Recomendo pesquisar novamente os valores das atrações na época da sua viagem.

2. Este post não recebeu nenhum tipo de patrocínio


Nenhum comentário:

Postar um comentário