Menu

segunda-feira, 4 de janeiro de 2016

Como tirar o visto para a China

Está pensando em viajar para a China?

Pois saiba que o país só permite a entrada de estrangeiros que tenham um visto emitido em seu passaporte. No entanto, as informações presentes na internet (incluindo o site da própria Embaixada da China no Brasil) não são completamente claras em relação aos procedimentos necessários para que aqueles que não tem um Consulado em sua cidade solicitem o visto. Afinal, não é possível fazer a solicitação online. E, para aqueles que moram em São Paulo, Rio de janeiro ou Brasília, basta comparecer pessoalmente ao serviço consular existente nessas cidades (sem necessidade de agendamento prévio). Mas como solicitar o visto chinês no Brasil, morando em outras cidades? 

Antes de mais nada, se você pretende visitar a China como turista, saiba que o visto só terá validade por 3 meses (exceto para os vistos de múltiplas entradas - ver abaixo), período que começa a ser contado a partir da emissão do mesmo. Portanto, se sua viagem está agendada para outubro, não adianta tirar o visto em junho, pois até o dia do embarque o prazo de validade já terá vencido. E certifique-se de que a data de expiração não ocorrerá enquanto você estiver no país.

Além disso, é importante ter em mente que há 3 tipos de vistos para o turista: o de entrada única, o de duas entradas e o de múltiplas entradas (este com validade de 6 meses ou de 1 ano). Caso você opte pelo primeiro, só será permitida uma única entrada na China. Ou seja, se você planeja começar sua viagem por Pequim e, então, pegar um voo para Tóquio e depois voltar para Pequim, terá obrigatoriamente que solicitar o visto de duas ou de múltiplas entradas, pois já terá utilizado sua única entrada permitida na primeira chegada ao país.


E isto nos leva obrigatoriamente a outra informação fundamental: as regras de imigração do país não se aplicam a duas cidades específicas: Hong Kong e Macau. Ambas, embora façam parte da República Popular da China, são áreas autônomas, com moeda própria, sistema judiciário independente e suas próprias regras de imigração. Praticamente cidades-estados que não seguem as mesmas regras da China continental e que não exigem visto para o brasileiro. Mas se você estiver em uma das duas cidades e pretender adentrar na China propriamente dita, terá que ter o visto chinês. E se a ideia for: chegar ao país pela China continental, atravessar a fronteira para Hong Kong e/ou Macau e depois retornar, obviamente, terá que ter um visto de duas ou de múltiplas entradas, seguindo um raciocínio semelhante ao exemplo dado acima com Pequim e Tóquio.

Claramente, se sua pretensão for a de apenas visitar Hong Kong e/ou Macau, desde que você chegue e saia por uma das duas cidades, não será preciso obter o visto. 

A essa altura, já deve ter dado para perceber que, antes da solicitação do visto chinês, você deverá já ter bem programada a sua viagem, incluindo as datas e cidades de chegada e partida e as regiões do país que pretende visitar. Até porque, como especificarei mais abaixo, todo o seu itinerário de viagem será exigido pelo consulado para poder emitir seu visto, assim como os vouchers dos hotéis já reservados.

Mas, finalmente, como se deve proceder para solicitar o visto chinês? Já adianto que, dos vistos que precisei tirar até hoje (EUA, Canadá e China), este é o mais prático e rápido.

A primeira coisa que você tem que saber é a qual Embaixada/Consulado localizado no país seu estado está vinculado. Afinal, cada setor consular tem uma área de jurisdição abrangente e você deverá solicitar seu visto ao setor correspondente. Atualmente há 3 serviços consulares, localizados em 3 cidades diferentes: Consulado da China em São Paulo (jurisdição: São Paulo e região Sul), Consulado da China no Rio de Janeiro (jurisdição: Bahia, Minas Gerais, Espírito Santo e Rio de Janeiro) e Embaixada da China em Brasília (jurisdição: regiões Centro-Oeste, Norte e Nordeste, exceto Bahia). Uma mudança nesta distribuição, entretanto, deverá ocorrer, uma vez que, em 2015, foi inaugurado um Consulado da China em Recife, que, provavelmente, emitirá os vistos para a região Nordeste futuramente (segundo informação passada por funcionário do mesmo quando telefonei na esperança de poder tirar o visto pessoalmente em Recife, onde moro). Na dúvida, telefone para a Embaixada em Brasília que eles informarão a qual serviço você deverá fazer a solicitação.

Mapa retirado do site oficial da Embaixada da China no Brasil. Em vermelho: jurisdição da Embaixada em brasília. Em verde: jurisdição do Consulado em São paulo. Em roxo: jurisdição do Consulado no Rio de Janeiro. Em azul: jurisdição do Consulado em Recife (provavelmente, os oitos estados do Nordeste em azul terão os vistos emitidos em Recife, futuramente).


Uma vez sabendo para qual serviço recorrer, vem a dúvida: é preciso comparecer pessoalmente ao setor consular, como acontece com o visto americano? A resposta é não. Mas uma informação que via repetidamente na internet é que eu deveria contratar algum despachante que compareceria ao consulado com meu passaporte e demais documentos.

Foi aí que resolvi fazer o óbvio. Telefonei para a Embaixada em Brasília. Fui muito bem atendido e orientado sobre o que deveria fazer:

1. Separar os documentos necessários (mais sobre isso, abaixo)

2. Enviar os documentos pelo correio para o endereço da Embaixada (ou Consulado, dependendo da sua jurisdição)

3. Após recebimento (importante enviar por SEDEX ou por carta registrada para poder rastrear a correspondência), telefonar para o serviço consular para saber se seu visto foi aprovado e como o pagamento deve ser efetuado (aguarde uns dois dias úteis após a entrega dos correios para dar tempo que seu pedido seja avaliado. Talvez você mesmo receba uma ligação do serviço consular durante esse período).

4. Depositar, diretamente na "boca do caixa" do banco orientado pelo funcionário (atualmente, o HSBC), o valor informado (este inclui a taxa específica do visto mais o valor do SEDEX para devolverem o seu passaporte)

5. Enviar, em anexo, para o e-mail fornecido pelo setor consular, o comprovante de depósito.

6. Aguardar seu passaporte chegar via SEDEX em casa.

Fácil. Simples. Descomplicado. O mais difícil mesmo foi descobrir como proceder pesquisando pela internet. Portanto, na dúvida, telefone para lá. Você será bem atendido. Mas saiba que a Embaixada e os Consulados só funcionam até meio-dia. 

Mas, afinal, quais são os documentos necessários (tanto para aqueles que solicitam via correio quanto para aqueles que comparecem pessoalmente)?

1. Passaporte (com um prazo de validade maior do que 6 meses)

2. Foto 3x4 (uma apenas, em fundo branco, sem óculos e sem o cabelo cobrindo olhos e/ou orelhas)

3.Declaração de Imposto de Renda ou contracheque ou qualquer comprovante de vínculos empregatícios

4. Reserva das passagens aéreas

5. Voucher das reservas dos hotéis

6. Formulário de Pedido de Visto devidamente preenchido (digitado ou manualmente - utilizar letra de forma). 

O formulário citado acima deve ser baixado no site da embaixada, neste link. Entre os campos a serem preenchidos há um específico para o itinerário da viagem. Mas você pode detalhar seu roteiro em uma folha separada, anexando-a ao formulário, como eu fiz. Mas lembre-se de especificar, dia-a-dia, as cidades por onde passará.

Estando tudo separado, basta enviar pelos correios, conforme explicado acima. Os endereços de cada serviço consular podem ser acessados no site oficial da Embaixada, assim como os telefones de contato. Eles também tiram dúvidas pelo seguinte e-mail: consulate_bra@mfa.gov.cn.

Neste link, você tem acesso aos regulamentos oficiais para solicitação de visto, embora ele deixe algumas lacunas.

E quanto custa exatamente a taxa de emissão do visto chinês?

Para emissão do visto de uma única entrada paga-se, atualmente, uma taxa de R$ 160,00 acrescida do valor correspondente ao SEDEX de devolução do passaporte, que será informado pelo funcionário consular por telefone, conforma explicado acima.

Para emissão do visto de duas entradas, paga-se, atualmente, uma taxa de R$ 240,00 acrescida do SEDEX).

Para emissão do visto de múltiplas entradas, paga-se, atualmente, uma taxa de R$ 320,00 (validade de 6 meses) ou de R$ 480 (validade de 1 ano), acrescida do SEDEX

Por fim, seguindo todos os procedimentos acima, e não havendo nenhum imprevisto, você deverá receber o visto em casa em menos de 15 dias. E ainda terá se livrado de gastar dinheiro com despachante. 

Em caso de dúvida, telefonar para 061 21958239.

4 comentários:

  1. Uma correção nas suas informações: cada consulado tem o seu método de trabalho, então esses procedimentos não são iguais para todos os consulados. O que fica em Recife, por exemplo, não aceita pedido de visto através dos Correios. Assim como o banco para pagamento, não é o mesmo da Embaixada. É preciso checar essas informações antes com cada consulado.

    ResponderExcluir
  2. Também seria interessante complementar com este link: http://cova.cs.mfa.gov.cn/ o qual possibilita o procedimento online.

    Att,
    Felipe.

    ResponderExcluir