Menu

quarta-feira, 8 de agosto de 2018

Como é o tour às Lagunas Altiplânicas do Atacama

Localizadas no chamado Altiplano Chileno, a mais de 4 mil metros acima do nível do solo, estão duas das  mais belas atrações naturais da região do Deserto do Atacama: as Lagunas Miscanti e Miñiques. Devido à proximidade entre as duas, a visita ocorre de forma conjunta. Na verdade, as duas já foram o mesmo lago, que foi dividido ao meio pela lava do Vulcão Miñiques.

A beleza das lagunas decorre da bela cor azul das suas águas, emoldurada por montanhas (entre eles o vulcão acima citado) e por uma vegetação rasteira por onde alguns habitantes da fauna local costumam aparecer, como os simpáticos guanacos  que tivemos a sorte de ver às margens da Laguna Miscanti.

Laguna Miscanti


E se o vento não estiver forte no dia da sua visita, a água dos lagos se tornam verdadeiros espelhos, refletindo as montanhas e o céu. E tornando a paisagem ainda mais espetacular.

O tour até as duas lagunas costuma ser associado à visita a outras atrações da região para "aproveitar a viagem". Estas outras atrações costumam variar de acordo com a agência contratada, de forma que é importante checar bem o itinerário para escolher o tour que mais se adequar às suas preferências.

No nosso caso, fizemos questão de fazer um passeio que incluísse também a surreal Piedras Rojas. Após ver imagens do local na internet, não tive a menor dúvida de colocar o lugar como prioridade absoluta na nossa viagem. E esta decisão se mostrou certeira, já que Piedras Rojas foi o lugar mais bonito que conhecemos durante a nossa passagem pelo Atacama.

Piedras Rojas

Infelizmente, pouco tempo após a nossa ida, a visita a Piedras Rojas foi fechada por tempo indeterminado em decorrência da irresponsabilidade dos turistas que estavam não apenas sujando o local como incomodando a fauna, chegando ao ponto de entrar nas águas presentes na área (prática completamente proibida). Não adianta fazer turismo se não for com responsabilidade. A natureza agradece!

Outro local que estava incluso em nosso tour naquele dia era a Laguna Chaxa. Ficamos bem empolgados pela inclusão desta laguna, uma vez que lá seria possível ver flamingos. Mas, infelizmente, a passagem para o local estava bloqueada (isto pode acontecer sem aviso prévio na região, uma vez que se trata de uma reserva ecológica, cujos responsáveis monitoram a possibilidade ou não de visita em determinados dias).

Para não retornar do passeio mais cedo, a agência incluiu, ao final, a visita ao chamado Quebrada de Jerez ou Valle de Jerez, uma espécie de oásis em meio ao deserto.

Valle de Jerez, um oásis no meio do Atacama

Também faz parte do passeio às Lagunas Altiplânicas, a passagem pelo Trópico de Capricórnio. O curioso é que, devido às propriedades gravitacionais do local, o motorista desligou a van na hora em que atravessávamos o trópico e o veículo continuou a andar sem motor, sendo apenas puxado pela gravidade. Uma curiosidade que valeu à pena vivenciar!

Passando pelo Trópico de Capricórnio


Informações práticas sobre o tour às Lagunas Altiplânicas


O passeio às lagunas costuma durar o dia inteiro, saindo de San Pedro pela manhã e retornando ao final da tarde. Inclui café da manhã e almoço. O primeiro é preparado e tomado ao ar livre, nas margens da estrada que leva às lagunas. No nosso caso, a van parou em um pequeno povoado cortado pela estrada para servir o nosso café.

O almoço foi servido em um restaurante em outro povoado, respeitando-se o nosso pedido de incluir refeição vegetariana (a agência Cruz Andina, com a qual fechamos todos os nossos passeios, nos perguntou se havia alguma restrição alimentar no nosso caso).

O valor do passeio costuma variar em torno de 45 mil pesos chilenos. Mas pode sair mais caro nos casos em que se opta por um tour mais exclusivo. Ou pode sair mais barato se você fechar todos os passeios na mesma agência, como foi o nosso caso.

Neste valor não está incluso o ingresso às lagunas Miscanti e Miñiques, no valor de 3 mil pesos chilenos. Para acessar Piedras Rojas e o Valle de Jerez não nos foi cobrado nada na época.

A estrada até as lagunas e até Piedras Rojas é toda asfaltada, de forma que nos pareceu super tranquilo seguir até estes lugares por conta própria em carros alugados. Inclusive, vi alguns turistas fazendo isso e fiquei me perguntando porque não fiz o mesmo. Estes tours guiados sempre me irritam por limitar nosso tempo em lugares que amamos e parar em locais que não fazemos questão alguma.

E lembrem-se de que as lagunas estão a mais de 4 mil metros de altitude, de forma que o visitante pode acabar apresentando algum dos sintomas do "mal da altitude". Portanto, o ideal seria não fazer este passeio logo no primeiro dia, esperando, assim, o organismo aclimatar.

Outro ponto importante a ser destacado é que a visita às lagunas não está aberta durante todo ano, uma vez que costuma fechar durante o inverno, devido à neve que invade a área. Quando fizemos o passeio, em setembro, faziam poucos dias que o acesso havia sido liberado e ainda havia um pouco de neve em torno das lagoas, o que deixou o visual ainda mais deslumbrante.

Um pouco de neve em torno da Laguna Miscanti

Visitando as Lagunas Miscanti e Miñiques


Saímos de San Pedro do Atacama em uma van turística, que nos pegou no nosso hotel, um pouco depois das 7 horas da manhã. Após algum tempo de estrada, paramos para tomar o café da manhã e fizemos também uma parada em um povoado do qual não lembro o nome. Aliás, achamos esta parada super sem futuro. No povoado, que àquela hora ainda dormia, não tinha nada para se ver ou fazer. Achamos pura encheção de linguiça (já disse que detesto estes tours guiados?).

Parando em um povoado no meio do Atacama. Não me recordo do nome do lugar

Eu já estava com a ansiedade nas alturas, louco para chegar às lagunas, quando, enfim, partimos para lá. Logo na chegada, descemos da van para adquirir nossos ingressos de entrada e ficamos, então, livres para apreciar a beleza da Laguna Miscanti.

Com o pouco de neve que se recusava a derreter mesmo após o fim do inverno, o contraste do seu branco com o azul da lagoa e o marrom das montanhas deixou toda a beleza ainda mais inebriante. Fiquei tão abobalhado diante daquela vista que não percebi que havia uma trilha demarcada, fora da qual o turista não pode pisar e acabei sendo chamado a atenção pelo guia. Erro meu!!

Laguna Miscanti. Esta cabana deu um charme ainda maior à paisagem!


Apreciando a vista

A paisagem em torno da Laguna Miscanti

Da Laguna Miscanti, é possível seguir a pé até a Miñiques. Afinal, elas são, praticamente, vizinhas. Nesta última havia menos neve ao redor, mas destacava-se o Vulcão Miñiques no seu entorno. 

A Laguna Miñiques


Difícil conseguir parar de fotografar


O Vulcão Miñiques

Para um lado, a Miscanti, para o outro, a Miñiques


Voltamos caminhando de volta à Laguna Miscanti pela trilha demarcada e, de longe, avistamos guanacos caminhando calmamente às margens da laguna. Nós e todos os outros turistas aceleraram o passo (na medida em que o ar rarefeito da alta altitude permitia), mas, ao perceber aqueles seres humanos estranhos chegando perto, os guanacos começaram a correr e fugiram. Afinal de contas, não há nenhuma espécie mais perigosa para a natureza do que os homens. Espertos, estes guanacos!

Lá estão os guanacos na beira da Laguna Miscanti

"Galera, foge que os seres humanos estão chegando perto"


E lá se foram eles

Pelo menos a paisagem não tem como fugir

Tem como não ficar feliz em um lugar assim?


Só lembrando que a trilha é toda demarcada. Nada de sair dela.


Como havia um pouco de vento, o reflexo na água não estava perfeito

Visitando Piedras Rojas


O segundo local que visitamos foi a inesquecível Piedras Rojas. Com pedras em tons rosados em volta de um lago espelhado que é emoldurado por montanhas, cuja variação gradual de cores lembra mais uma pintura do que uma formação geográfica real, a beleza deste lugar, nos marcou profundamente. Eu já achava que iria amar, mas Piedras Rojas superou minhas expectativas.

Antes de chegar às margens da lagoa, o guia fez uma parada estratégica na estrada, para apreciarmos as montanhas que citei acima de longe.

De longe, já vemos as surreais montanhas de Piedras Rojas. Digam se não parecem uma pintura?

Hipnotizante


Mas o melhor mesmo foi chegar próximo e caminhar pelas pedras avermelhadas rumo à lagoa. Por sorte, o vento estava pouco naquela área, permitindo que as montanhas fossem refletidas pela água. Foram tantas fotos que selecionar algumas para expor abaixo, foi bem difícil. Mas vamos a elas, pois nada melhor do que ver para entender o porquê de termos ficado tão fascinados, não é?

Uma vez fora da van, foi possível caminhar pela rochas que dão nome ao lugar

Deu para entender porque o nome do lugar é Piedras Rojas?


E este reflexo perfeito no lago destas montanhas ainda mais perfeitas?


É realmente deste mundo?


Ou fomos abduzidos?

Era uma beleza sem fim


O que resultou em muitas fotos


Alguém pode nos culpar?


Piedras Rojas é um dos locais mais perfeitos que já conhecemos


E foi difícil deixar tanta beleza para trás

Acho que seria pra você também, né?

Confesso que foi com tristeza que ouvi o guia nos chamar para seguir viagem. Queria muito ter passado mais tempo por lá.

E que pena que o local teve que ser fechado aos turistas. A irresponsabilidade de alguns atrapalhando a experiência de muitos. Não sei se o local já reabriu enquanto escrevo esta postagem nem se ainda vai reabrir um dia. Que aconteça o que for melhor para a natureza!

Só sei que a beleza de Piedras Rojas jamais deixará a minha memória...

Visitando o Valle de Jerez


A última parada daquele dia, como já expliquei acima, foi no Valle de Jerez, uma espécie de cânion no meio do inóspito deserto, em cujo vale abaixo cresceram árvores às margens de um pequeno córrego, formando um pequeno bosque. Um verdadeiro oásis!

Chegando ao Valle de Jurez


As árvores lá embaixo existem devido a um córrego de água no fundo do vale

Tivemos a oportunidade de apreciar o vale de cima e, depois, descer uma trilha até a área arborizada lá embaixo. No caminho, nós nos deparamos com antigas habitações na pedra dos povos antigos que habitaram o lugar. Teria melhor lugar para morar no Atacama do que às margens de um bosque?

Seguindo a trilha


Antigas habitações


Moradia no interior da rocha

Engraçado que, à medida que a trilha vai nos levando para dentro do bosque, a temperatura vai mudando completamente, ficando mais fria. Até a umidade presente no ar entre as árvores passa a ser sentida por uma respiração que estava, segundos atrás, captando o ar seco do deserto.

Chegando ao fundo do vale


O córrego que permite a existência do oásis

Algumas pessoas se refrescando no córrego


Embora não seja um local popular entre os passeios turísticos da região, valeu à pena a visita por permitir esta sensação de, realmente, colocarmos os pés em um oásis no meio do deserto. No entanto, não é um local que eu consideraria imperdível.

Ao contrário da visita às lagunas Altiplânicas e a Piedras Rojas, lugares que ultrapassam a definição de "imperdível"...



OBS:
1. Os preços indicados neste post correspondem aqueles em vigência na época da viagem. Recomendo pesquisar novamente os valores das atrações na época da sua viagem.

2. Este post não recebeu nenhum tipo de patrocínio

17 comentários:

  1. Não conhecia esse tour, na verdade, nunca pesquisei sobre o atacama, mas amo as fotos que vejo e sempre fico com muita vontade de ir! Mais uma vez foi assim! Que passeio lindo!! já vou colocar na minha listinha! Adorei, uma pena que o homem esteja estragando piedras riojas, deve ser parte imperdível do passeio

    ResponderExcluir
  2. Uma pena vcs não terem ido na Laguna Chaxa... quanto a Piedras Rojas, o caso do fechamento se deu por conta da prática de kitesurf por um atleta brasileiro nas águas do lugar durante a gravação de um programa de televisão para um canal à cabo e foi bem polêmico, pois foi reclamado pelos povos indígenas locais, mas foi fora da área de preservação legal. De qq forma foi muito irresponsável e serviu para mostrar que a preocupação ambiental está além das demarcações físicas nos mapas...

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Eu soube do caso do atleta! Foi pouco tempo depois da nossa passagem por lá! Fiquei indignado!!

      Excluir
  3. Fiquei sabendo do caso dos atletas que praticaram kitesurf lá, pura irresponsabilidade! Sou louca pra conhecer Piedras Rojas mas não sei mais se será possível. Suas fotos ficaram sensacionais hein? Que dia privilegiado!

    ResponderExcluir
  4. To boba com as suas fotos! Elas estão lindas demais!!! Tenho muita vontade de conhecer o Atacama e simplesmente leio tudo que posso a respeito!!! Não sabia que Piedras Rojas tinha sido fechada. Ainda bem que conseguiram visitar antes e espero muito que já tenha reaberto quando eu puder ir!!

    ResponderExcluir
  5. Quanta paisagem incrível!! Que tipo de roupa tem que levar? De frio Ou calor? Ou as duas?

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. O ideal é sempre ter pelo menos um casaco mesmo no verão, já que as lagunas estão a mais de 4 mil metros de altura e pode fazer frio.

      Excluir
  6. Este comentário foi removido por um administrador do blog.

    ResponderExcluir
  7. Calama é aquele ponto de vida no meio do deserto. Eu fico abismada com essa força e energia do lugar. Fui há muito tempo atrás, onde não existia o passeio para Piedras Rojas. Inacreditável que ainda há gente estúpida que não sabe respeitar o meio ambiente. Imagina o que eles não devem fazer dentro de casa?!..
    Mas voltando a viagem, qual foi o lugar que mais gostou no Atacama?

    ResponderExcluir
  8. Ainda não fui ao Atacama, mas é uma das minhas prioridades na América do Sul. Sempre que vejo informações de lá, os viajantes estão elogiando esse tour pelas lagunas e Piedras Rojas! Parece que a beleza do lugar é unanimidade e, com certeza, farei esse programa, ainda mais com esse post todo explicadinho de vocês para facilitar a vida do viajante.

    ResponderExcluir
  9. Uau!! Que lugar incrível!! É difícil saber o que é reflexo e o que eh a paisagem de verdade....
    Uma pena os turistas não saberem preservar um tesouro desses 😣

    ResponderExcluir
  10. Eu estou apaixonada pelas fotos, parece uma pintura de tão lindo. Acompanhei essa trip pelo stories, morro de vontade em conhecer Piedras Rojas, mas ainda fico meio receosa com a altitude. Vocês teve algum mal estar?

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. No Atacama, nós não sentimos nada. Já na travessia até Uyuni, quando chegamos aos 5 mil metros, aí sim sentimos o efeito! Mas não deixe de ir por causa da altitude. A beleza do lugar compensa mesmo quando se tem algum sintoma da altitude!

      Excluir
  11. Eu estou apaixonada pelas fotos, parece uma pintura de tão lindo. Acompanhei essa trip pelo stories, morro de vontade em conhecer Piedras Rojas, mas ainda fico meio receosa com a altitude. Vocês tiveram algum mal estar?

    ResponderExcluir
  12. Eu fiz o passeio também e adorei! Só que, infelizmente, não passamos perto do Piedras Rojas, que já estava fechado. Uma grande pena. Triste mesmo!

    Quanto ao povoado por que passaram, acredito que seja Toconao. Mas eu gostei, hahaha. É uma região de vinícolas, a propósito. Visitamos uma delas.

    ResponderExcluir