Menu

domingo, 23 de julho de 2017

Tirando dúvidas sobre Doha, a capital do Catar

Quando emitimos nossas passagens para a África do Sul, percebemos que o retorno, pela companhia Qatar Airways, nos proporcionaria uma noite em Doha, devido a longa conexão na cidade. No entanto, não pensamos duas vezes, quando uma alteração no horário dos voos, nos permitiu fazer mudanças em qualquer dos trechos e logo optamos por aumentar o tempo de conexão, passando duas noites na capital do Catar.

Doha, a capital do Catar


Com o aeroporto de Doha, considerado um dos melhores do mundo, servindo de hub no Oriente Médio e com a Qatar Airways sendo considerada uma das melhores companhias aéreas do planeta, tem sido comum a presença de turistas ocidentais no país, aproveitando as conexões na cidade.

O aeroporto de Doha e o famoso urso que adorna o saguão central da área de embarque


O aeroporto de Doha estampa, com orgulho, o fato de estar entre os 10 melhores aeroportos do mundo


Além disso, nota-se um esforço do país em estimular este turismo, especialmente, pelo fato da cidade ter sido escolhida para sediar a Copa do Mundo de futebol de 2022. É possível ver obras por todos os lados de Doha, numa visível modernização da cidade e melhoria da sua infraestrutura (que já é muito boa, aliás), com a construção, por exemplo, de um sistema de metrô.

Muitas dúvidas, no entanto, surgem quando o destino em questão se localiza no Oriente Médio. Os relatos frequentes de conflitos vindos da região e o receio em relação aos costumes e hábitos rigorosos dos países ali localizados acabam afastando uma parcela considerável de potenciais turistas. Adiantamos, no entanto, que o Catar, em específico, é um país muito tranquilo a ser visitado.

Abaixo, listamos e respondemos uma série de dúvidas que podem estar relacionadas ao país:

É seguro viajar para Doha?


O Oriente Médio é composto por 15 países em uma área total que compreende mais de 7 milhões de quilômetros quadrados. Ou seja, não é por que existe conflito em um ou dois países em determinado momento que haverá também no restante da região.

Doha é a capital do Catar, um minúsculo país que faz fronteira com a Arábia Saudita e é envolto pelo Golfo Pérsico, e vive em paz, sem ser palco (nem estar perto) de nenhum conflito da região. Portanto, você pode viajar tranquilamente para lá sem se preocupar com guerras ou atentados.

Da mesma forma, existe segurança pública e você pode transitar pelas ruas sem medo. Aliás, o Catar costuma integrar a lista de 20 países menos violentos do mundo, junto de países como Noruega, Dinamarca e Suíça.

Em todos os aspectos, o país é, portanto, seguro. Para as mulheres, que podem ter um receio maior, considerando os costumes árabes presentes na cultura do Catar, basta terem cuidado na hora de se vestir (o recomendado é evitar algo provocativo) para não chamadas a atenção. 

Brasileiro precisa de visto para entrar no Catar?


Infelizmente, sim. E considero esta a parte mais chata relacionada ao país. Isso porque tive problemas para emitir o meu visto, precisando, inclusive, tirar um novo passaporte pouco antes da viagem. Não que a forma de adquirir o visto seja difícil, mas, na nossa opinião, é arcaica e injusta (já que são os hotéis que dão entrada no visto para você e, assim, cobram o que querem), além de depender de um sistema online precário que, se travar (o que aconteceu comigo), pode te obrigar a tirar outro passaporte. Enfim, conto todos os detalhes no post Como tirar o visto para o Catar.

Confesso que, devido ao transtorno, cheguei a me arrepender de ter emitido a passagem pela Qatar Airways. No final, no entanto, tudo deu certo e acabou valendo à pena, pois adoramos conhecer Doha. E não é porque houve problema com o meu visto que acontecerá com o seu também. Pelo que soube, na maioria dos casos, tudo corre bem, sem percalços.

E como funciona a imigração no aeroporto de Doha?

A imigração por lá segue o mesmo protocolo dos demais países e, no nosso caso, não poderia ter sido mais tranquila. Nenhuma pergunta foi feita. Eles apenas pegaram o nosso passaporte, realizaram os procedimentos padrões e pronto. Nem sequer olharam o visto que me deu tanto trabalho para conseguir. De qualquer modo, é sempre bom estar com tudo em mãos (visto, voucher do hotel, seguro-viagem), concordam?

Qual a melhor época para viajar ao Catar?

Esta eu respondo sem pensar duas vezes: durante o inverno. Considerando que a maior parte do país corresponde a áreas desérticas, o clima por lá é quente durante o ano inteiro, mas atinge proporções que podem beirar o insuportável durante o verão (de maio a setembro). Portanto, parece-nos bem mais agradável visitar o país fora desta época. E foi o que fizemos.

Estivemos por lá em fevereiro de 2017 e o clima nesta época estava bem agradável. Não sentimos frio em nenhum momento (nem à noite quando a temperatura do deserto costuma cair), ao mesmo tempo em que não nos sentimos desconfortáveis com o calor. O clima, na verdade, estava excelente e bem agradável. Foi possível passear ao ar livre de bermuda e camiseta tranquilamente.

Passeando pelo deserto do Catar. O clima estava perfeito!


Qual roupa devemos usar no Catar?

Como falamos acima, nós utilizamos bermuda e camiseta sem nenhum problema. Confesso que, antes de sair do hotel para passear, estávamos com medo de não ser adequado sair de bermuda pela cidade. Ficamos até com medo de ter a nossa entrada barrada nos lugares. Mas não há este perigo e sua entrada de bermuda só é mesmo proibida nas mesquitas. Aliás, para entrar nos templos sagrados do mundo islâmico, é sempre necessário cobrir as pernas (tanto homens quanto mulheres).

Pela rua, vimos vários turistas ocidentais vestidos normalmente. A única restrição mesmo fica para as mulheres, já que se aconselha não utilizar roupas que exponham demais o corpo. Isso não significa que a mulher deve andar toda coberta. Basta não exagerar no decote, não deixar ombros ou costas nuas e não usar saias ou shorts muito curtos (especialmente se pretender visitar alguma mesquita).

Na verdade, pelo que percebi, os moradores da cidade já estão acostumados com o jeito ocidental de se vestir. E, assim, nós podemos andar tranquilamente pelas ruas e mercados sem problema. Da mesma forma, devemos ter cuidado para não ficar encarando e, muito menos, fotografando os locais com suas roupas tradicionais: os homens utilizam uma túnica branca (aparentemente sem nada por baixo) e cobrem a cabeça com um turbante típico do mundo árabe; as mulheres vestem-se com uma túnica preta, mas que cobre o rosto, embora deixe os olhos de fora (não é bem uma burca, já que esta cobre até os olhos).

O interessante foi notar que as túnicas femininas não são idênticas umas às outras. Variam de modelo, com adereços diversos. Além disso, vimos mulheres muito bem adornadas, com muitas jóias e bolsas de marcas famosas.

E, assim, os catari e os ocidentais convivem harmonicamente pelas ruas de Doha, cada qual vestidos a sua maneira!

Só existe comida árabe para comer no Catar?

Se você não curte comida árabe (como nós) e está com medo de passar fome em Doha, não se preocupe. A cidade é muito bem servida de restaurantes com culinária diversificada, além de não abrir mão das grandes redes de fast food, conhecidas mundialmente. Então, se você não quiser comida árabe, vai encontrar outras opções.


No café da manhã, experimentamos uma mistura entre comida árabe (o típico pão árabe) e ocidental (nutella)




Doha é uma cidade cara?


Sim, ela é. Nada do outro mundo (já estivemos em cidades da Europa mais caras, como Londres, por exemplo). Mas não é uma cidade barata.

O Catar é um país riquíssimo, em decorrência das reservas de petróleo e gás natural, que fizeram dele um dos países mais ricos do Oriente Médio (e do mundo). A sua moeda é o rial (símbolo: QAR) e, na época da nossa viagem, estava, mais ou menos, em paridade com o nosso real.

Fizemos o câmbio no próprio aeroporto. Uma vantagem é que, caso sobre dinheiro ao final da viagem, você pode retornar à casa de câmbio e pedir para destrocar o que sobrou sem perder dinheiro na transação. Não sei se esta era uma prática restrita à casa de câmbio do aeroporto ou se o mesmo acontece em outros estabelecimentos.

Mas, de qualquer forma, não sobrou dinheiro...

Como se locomover em Doha?

Doha não tem um bom sistema de transporte público (embora pareça que isto esteja mudando, visando a Copa do Mundo). Desta forma, a melhor forma de se locomover por lá é de carro, utilizando-se táxi ou Uber.

Qual dos dois é mais barato? Depende. No início do nosso dia na cidade, pegamos um Uber para ir do nosso hotel até o Museu de Arte Islâmica e, à noite, pegamos um táxi para ir de uma área próxima ao museu até o nosso hotel. O taxista, no entanto, errou o hotel e acabou tendo que dar uma volta enorme até chegar ao nosso destino. E, mesmo assim, a viagem foi mais barata do que o Uber que pegamos pela manhã e que seguiu o caminho certinho.

No entanto, acredito que o Uber seja uma opção mais barata para ir do aeroporto até o seu hotel. Falo isso, porque achei um absurdo o preço do táxi. Nada nesta viagem por Doha foi mais caro do que este táxi. Para se ter uma ideia, o taxímetro por lá começa com o valor de 4 riads, mas, saindo do aeroporto, este valor aumenta para 20 riads. Por isso que sai tão cara a corrida. Absurdo!

Para retornar ao aeroporto, reservamos um transfer com o nosso hotel, o que saiu mais em conta do que o táxi.

Um aviso importante: se for pegar táxi, esteja atento para não pegar nenhum clandestino. Sim, eles existem por Doha também. Para reconhecer os oficiais, eles tem a cor verde, como o mostrado na foto abaixo:




Como se comunicar em Doha? Os catari falam inglês?

O idioma oficial do Catar é o árabe, mas muitos locais que trabalham com turismo falam, ou melhor, arranham o inglês. Como eu também só arranho o inglês, então estava tudo certo!!

Mas, falando sério, o inglês deles é bem ruim e pode ser preciso pedir para repetir para poder entender. Mas nada que impossibilite a comunicação. Este quesito foi bem mais fácil para nós no Catar do que na China, por exemplo.

Além disso, as placas indicativas de ruas ou pontos de referência costumam estar escritas tanto em árabe quanto em inglês (pelo menos, em Doha), o que facilita bastante a nossa vida.

Tudo nos dois idiomas




O povo do Catar é simpático?

Na maioria do tempo, nosso contato com o povo catari foi bastante satisfatório e fomos muito bem tratados por lá. 

Na verdade, quando você fala que é brasileiro eles costumam abrir um sorriso por nos associar a uma das suas grandes paixões: o futebol. Mas confesso que isto foi ficando bem chato para nós, já que não damos a mínima para o esporte e a todo instante tínhamos que fingir estar interessados no tema para não acabar com a alegria deles. Embora, em muitas vezes, tenha sido bem notório que não estamos nem aí para Neymar (as lojas costumam ter poster do jogador de tanto que eles o veneram) e que não entendemos absolutamente nada de futebol.

Quem gosta e entende do assunto, vai ter a chance de agradar os catari. Basta fazer festa quando o assunto for futebol.


Qual a tomada padrão do Catar?


As tomadas do país lembram o padrão inglês, com entradas retangulares. Portanto, aconselho que levem um adaptador universal para não sofrerem na hora de carregar o celular ou outros aparelhos eletrônicos.


Onde se hospedar em Doha?


Na nossa opinião, o melhor lugar para se hospedar em Doha é nos arredores do Souq Waqif, o principal mercado da cidade. E quanto mais perto do mercado, melhor. Desta forma, você ficará próximo de outras atrações turísticas, como o Museu de Arte Islâmica e o Corniche, podendo, inclusive seguir caminhando até elas.

Mas, em Doha, na hora de se escolher o hotel, um parâmetro adicional deve ser adicionado aqueles aos quais já estamos acostumados, como localização, limpeza e conforto, pro exemplo: o valor cobrado para emissão do seu visto. Afinal, cada hotel cobra um valor diferente e, caso você não consiga emitir o seu visto através da Qatar Airways, você, provavelmente, terá que lançar mão dos hotéis.

Portanto, será preciso adicionar o valor cobrado pelo visto ao valor da diária para poder escolher o melhor custo-benefício. No nosso caso, acabamos escolhendo o Sapphire Plaza Hotel, até porque foi um dos poucos hotéis que responderam nosso questionamento sobre o visto por e-mail. O hotel é um pouco afastado do Souq Waqif, embora tenhamos feito o percurso a pé, retornando até lá após o almoço (caminhada que, provavelmente, teria sido inviável no verão).

Não foi uma diária barata, pois, como já falamos, Doha é uma cidade cara. Mas, após conhecer as instalações do hotel, acabamos, sim, achando o valor em conta considerando o requinte e o conforto da hospedagem. Até porque o padrão da hospedagem é bem maior do que aquele ao qual estamos acostumados quando viajamos.

O quarto era enorme e super confortável. O saguão era super imponente. A sensação que tive no hotel (e no restante da cidade), é que o país gosta de grandiosidade, de luxo, de imponência. Pode ser impressão nossa, mas parece que o Catar quer fazer de Doha uma nova Dubai dentro do Oriente Médio.

O Sapphire Plaza Hotel, em Doha


Adicionar legenda

O hotel, assim como parece ser comum na cidade, não inclui o café da manhã na sua diária e cobra uma fortuna pelo mesmo. Preferimos tomar o nosso café no Souq Waqif.

Quantos dias ficar em Doha?

Acreditamos que o tempo mínimo ideal para conhecer a cidade seja de dois dias inteiros. Nós conseguimos apenas duas noites, com um dia inteiro entre elas e, obviamente, não deu para conhecer tudo. 

A cidade não é grande e não existem inúmeras atrações turísticas para se visitar. No entanto, um passeio que vale demais fazer partindo da cidade é o tour pelo Deserto do Catar que fica ali bem pertinho. Na verdade, Doha fica entre o mar e o deserto e uma passagem pela cidade é uma ótima oportunidade de se conhecer um deserto.

Deste modo, acabamos optando por excluir alguns locais de Doha do nosso roteiro para, as três horas da tarde, seguir com um tour até o deserto. E não nos arrependemos.

No entanto, se você quiser fazer tudo com mais calma, dois dias seriam, sem dúvida, mais adequados. Ou até mesmo três ou mais se você quiser experimentar o país com ainda mais tranquilidade.

Ah! Só tem um dia mesmo? Então, não deixe de ir. Foi só o que tivemos e não nos arrependemos. Valeu cada minuto.


O que fazer em Doha?


Já falei acima sobre a possibilidade de se fazer um passeio pelo deserto, partindo de Doha. Já, na cidade em si, existem algumas atrações que listo abaixo:

1. Souq Waqif - um típico mercado árabe (você vai encontrar um assim em toda cidade árabe que se preze) onde é possível fazer uma imersão na cultura do país. Ótimo local para fazer as suas refeições na cidade.

2. Museu de Arte Islâmica (MIA) - projetado pelo mesmo arquiteto do Museu do Louvre, corresponde a um dos prédios mais emblemáticos da moderna Doha.

3. MIA Park - parque construído ao lado do museu e às margens da Baía de Doha. Excelente para uma caminhada, um piquenique ou apenas para apreciar a vista ao redor.

O Museu de Arte Islâmica visto do MIA Park


4. Corniche - calçadão ao longo da orla da Baía de Doha que permite a vista do skyline da área financeira da cidade, com seus modernos prédios do outro lado da baía. Vale à pena visitar o calçadão também à noite, para apreciar a iluminação noturna dos prédios.

5. Mesquita Al Fanar - atualmente, um dos principais marcos turísticos da cidade, devido a sua arquitetura em espiral, localiza-se bem ao lado do Souq Waqif.

A Mesquita Al Fanar


6. The Pearl - um moderno bairro da cidade que corresponde, na verdade, a uma ilha artifical.

7. Villaggio Mall - shopping center famoso da cidade, que atrai turistas não apenas por suas lojas famosas mas também pela simulação do céu em seu teto e pela réplica dos canais de Veneza no seu interior, com direito, inclusive, a gôndolas.

Certamente, a cidade deve conter outros locais de interesse, mas estes foram os que tomei conhecimento durante a nossa visita. Não visitamos os dois últimos listados por não haver tempo e não ter despertado o nosso interesse. Também não entramos na mesquita, pois estávamos de bermuda e nem um pouco a fim de colocar calça comprida apenas para ter que entrar. Aliás, acredito que devem haver outras mesquitas na cidade que mereçam uma visita. Se souberem de alguma, coloca a dica aí nos comentários!

Nas próximas postagens sobre a cidade, detalharemos nosso passeio e descreveremos cada um dos pontos visitados, incluindo a nossa impressão pessoal sobre cada um.




OBS:
1. Os preços indicados neste post correspondem aqueles em vigência na época da viagem. Recomendo pesquisar novamente os valores das atrações na época da sua viagem.

2. Este post não recebeu nenhum tipo de patrocínio

Nenhum comentário:

Postar um comentário