Menu

quinta-feira, 22 de dezembro de 2016

Subindo a Torre Eiffel no nosso quarto dia em Paris

Nenhum outro monumento da França está tão presente no imaginário popular quanto a Torre Eiffel. Quem vai a Paris, pelo menos pela primeira vez, não abre mão de incluir a atração como componente indispensável do roteiro. E alguns (como nós) acabam visitando a torre mais de uma vez na mesma viagem. Afinal vale à pena visitar a torre tanto de dia quanto de noite, além de que avistá-la e, obviamente, fotografá-la dos mais diversos ângulos acaba tomando boa parte do seu tempo.


Projetada por Gustave Eiffel, no final do século XIX, a torre foi a campeã de um concurso entre arquitetos promovido pelo governo francês para escolher um monumento que ocuparia o Campo de Marte e seria exibido durante a Exposição Mundial de 1889. Seu criador, provavelmente, não imaginou que seu projeto de ferro se tornaria um dos monumentos mais visitados do mundo.

Fama esta plenamente justificada. Com uma altura de 324 metros, a torre é, até hoje, a estrutura mais alta de Paris, encantando, com sua beleza, a vista de diversos pontos da cidade. É comum nos depararmos com a visão da torre enquanto caminhamos pelas ruas da capital francesa. E acredite: você pode já ter visto o monumento centenas de vezes por foto, mas, ao vivo, ela ainda consegue te surpreender com toda a sua imponência.




E, por ser a construção mais alta da cidade, não é de se espantar que inúmeros turistas façam questão de subir até os seus níveis (ao todo são três) para apreciar Paris do alto. De qualquer modo, não se sinta frustrado se, por algum motivo, não conseguir subi-la (na verdade, nem considero esta uma atividade essencial). O melhor da torre é mesmo apreciá-la do chão, sendo dois os principais locais para vê-la de perto:

1. O Campo de Marte: uma agradabilíssima e enorme área verde que se estende até a Torre Eiffel, excelente para a prática de piqueniques e para se conseguir ótimas fotos da torre. Vale à pena ficar um tempo sentado na sua grama, abaixo de uma árvore, descansando em frente à torre.

No Campo de Marte (ou pelo menos na pequena parte do mesmo que não estava ocupado pela Eurocopa)

Campo de Marte visto do alto da Torre Eiffel

2. Trocadero: uma espécie de praça com fontes e jardins que se eleva numa pequena colina, com uma construção (o Palácio de Chaillot) no seu topo. Fica do outro lado do Sena e permite também excelentes fotos com a Torre Eiffel ao fundo.

Torre Eiffel vista do Trocadero

Trocadero

Trocadero

Trocadero visto do alto da Torre Eiffel 


Vale à pena reservar um bom tempo para explorar a região em torno da torre, visitando tanto o Campo de Marte quanto o Trocadero. Outro ponto de vista interessante para se apreciar a Torre Eiffel é a partir do próprio rio Sena, através de um passeio de Bateau Mouche por suas águas (há uma estação de barcos quase em frente à torre).









E, como falei antes, vale à pena visitar o monumento tanto de dia quanto de noite, quando ela ganha uma bela iluminação.

Torre Eiffel iluminada

No nosso caso, programamos, inicialmente, duas visitas à atração. Uma noturna, no primeiro dia (já detalhada neste post), e outra durante o dia (com direito a subir até os seus dois primeiros níveis) no nosso quarto e último dia em Paris. Na verdade, entre o terceiro e este última dia na cidade, havíamos feito uma viagem de carro para a Normandia (que detalharei em outro post), deixando o contato com a incrível torre como o final épico para a nossa visita a Paris (até porque este era o dia do meu aniversário e por que não me presentear com uma visita a um dos monumentos mais incríveis do mundo?).

Infelizmente, no entanto, não recebi, neste meu aniversário, o presente que pedi a São Pedro: céu azul em Paris. Do início ao fim, nossa passagem pela capital francesa ocorreu com o céu repleto de nuvens cinzentas. E, obviamente, isto prejudicou bastante a visibilidade da cidade do alto da torre. Além disso, teve momentos em que o seu cume ficou completamente encoberto pela nuvens, o que acabou nos desmotivando a subir até o seu terceiro e último nível.

Para completar, estava prestes a ocorrer, na cidade, a Eurocopa e, infelizmente, os organizadores tiveram a ideia de isolar 90% do Campo de Marte para construir uma área provisória que serviria de ponto de encontro para os torcedores. Difícil descrever a raiva que tive dessa Eurocopa, especialmente, devido a bola horrorosa que resolveram pendurar no meio da Torre Eiffel. E nem falei que, neste dia, a linha de metrô que nos levaria até a torre parou na metade devido à greve dos funcionários, nos fazendo seguir parte do trajeto a pé.

Mas, enfim, era meu aniversário e eu fiz um esforço tremendo para não me abater diante desses imprevistos. Pedi um crepe de nutella com morango em frente à torre para elevar os níveis de serotonina e, uma vez no alto do monumento, ainda me dei o direito de comprar os inflacionados macarons que vendem no seu segundo nível. Era meu aniversário ora. Eu merecia , concordam?

Mas vamos ao que interessa: as dicas sobre como visitar a Torre Eiffel.

Como chegar à Torre Eiffel

Irei indicar aqui três estações de metrô (marcadas no mapa abaixo) que te deixarão mais ou menos próximo à torre:

1. Estação Trocadero (abastecida pelas linhas 6 e 9): te deixa exatamente no Trocadero e permite que você inicie sua visita pela excelente vista que se tem da torre a partir desta área. Basta, então, atravessar a ponte sobre o Sena para chegar aos pés do monumento.

2. Estação Bir Hakeim (abastecida pela linha 6): das três opções, é a que te deixa mais próximo da torre.

3. Estação École Militaire (abastecida pela linha 8): é a opção que te deixa mais distante do monumento, mas que te permite passear pelo Campo de Marte, enquanto se aproxima da torre.

Mapa mostrando estações de metrô que podem ser usadas como destino para se chegar à Torre Eiffel

Outra opção, claro, é seguir até a Torre Eiffel à pé, partindo de outra atração turística da cidade, de preferência, margeando o rio Sena. Esta foi a nossa opção no primeiro dia em Paris, quando, já ao anoitecer, seguimos caminhando a partir da Praça da Concórdia, com o objetivo de ver o monumento iluminado à noite.

E à medida que caminhávamos pelas margens do Sena, a Torre Eiffel ia surgindo no nosso campo de visão!


Na segunda vez que visitamos a torre nesta viagem, optamos por descer na Estação Bir Hakeim, mais próxima. Para este quarto dia, no qual subiríamos a torre, a ideia original era a de seguir para o Campo de Marte (descendo na Estação École Militaire), onde faríamos um piquenique e, assim, iniciaríamos a comemoração do meu aniversário. Infelizmente, a Eurocopa estragou os nossos planos.

Como é a subida à Torre Eiffel

Há duas formas de subir a Torre Eiffel: a pé, pelas escadas (são cerca de 700 degraus até o segundo andar) ou de elevador. E três níveis da torre podem ser acessados pelos visitantes, sendo o terceiro e mais alto nível localizado no topo da torre (e apenas acessado por elevador).

Obviamente, o elevador é a escolha mais prática e te deixa no segundo nível, de onde se pode acessar o primeiro nível de escadas ou o terceiro nível pegando um segundo elevador. Vale ressaltar, no entanto, que, para ter acesso ao topo da torre é preciso comprar um ingresso diferenciado, pagando a mais, claro.

Do segundo nível se tem uma excelente vista da cidade (prejudicada naquele dia pelo péssimo clima). Infelizmente, não posso opinar sobre a vista a partir do topo, pois as nuvens que o encobriam nos desencorajou a pagar a diferença para subir até ele. Para não ver nada, não valeria à pena.

O acesso ao elevador, ainda no chão, é feito pelo pé leste norte da torre (veja na imagem abaixo). Basta mostrar o ingresso (comprado na hora ou impresso em casa) com o horário agendado da visita e passar pelos procedimentos de segurança (bem mais rigorosos nessa época de ameaça terrorista). Depois basta entrar no elevador e ir prestando atenção na incrível estrutura metálica que compõe a torre, durante a subida. Não entendo nada de engenharia, mas não tem como não achar incrível a estrutura do monumento.

O pé da torre circulado na imagem indica o acesso ao elevador

No elevador da Torre Eiffel


Paris vista do segundo nível da Torre Eiffel. Visão prejudicada pelo péssimo clima

Tentando ver Paris através da neblina



Mas a subida à torre não se limita apenas à apreciação da vista lá de cima. Os seus níveis contam com lojas (com souvenirs bem acima da média de preço) e restaurantes. Entre estes últimos: o 58 Torre Eiffel, localizado no primeiro nível e com almoço e jantar a partir de 40 e 80 euros, respectivamente (reservas podem ser feitas no site oficial); e o Le Jules Verne, localizado no segundo andar e mais caro que o primeiro, com menus que passam dos 150 euros (reservas também podem ser feitas pelo site oficial).

Há também um Champagne Bar que vende uma taça de champagne aos visitantes que querem brindar ao momento em plena Torre Eiffel. E, para quem estiver com fome mas não quiser gastar o que os restaurantes cobram, há a disponibilidade da venda de lanches (sanduíches, pizzas, saladas) nos dois primeiros níveis, além de um local especializado na venda dos típicos macarons parisienses.

Como comprar o ingresso da Torre Eiffel

Como já dei a atender acima, você pode adquirir o ingresso para subir a Torre Eiffel de duas formas: comprando pessoalmente na bilheteria (devendo já utilizar o ingresso no mesmo dia da compra); ou comprar antecipadamente no website oficial da torre, com a vantagem de evitar as filas da bilheteria, seguindo diretamente para o local de acesso no horário agendado.

Como gosto de deixar tudo garantido e detesto perder tempo em filas, preferi garantir o ingresso online. A desvantagem é que você acaba ficando com o seu tempo engessado, já que deve escolher uma hora específica para visitar a torre. Mas, mesmo assim, acho que vale à pena. E se você também optar pela compra online, lembre de fazer isso com o máximo de antecedência, já que a disponibilidade de ingressos antecipados costuma se esgotar rapidamente.

Para comprar o ticket online, você deve acessar o website oficial e clicar em buying tickets. Surgirá a página abaixo:

Adicionar legenda

Você vai, então. escolher o tipo de ingresso (se o que dá direito até o topo ou o que vai apenas até o segundo andar), a data da visita e o número de ingressos a ser comprado. O valor total vai ser mostrado e, agora, você deverá clicar em confirm. A seguinte página vai aparecer com os horários ainda disponíveis para o dia escolhido:



Escolha o horário de sua preferência e clique em order.


Clique em I´m not a robot e, depois, em checkout:


Agora basta escolher a forma de aquisição do ingresso (imprimir em casa é o mais prático e é de graça) e fazer uma conta no site, clicando, então, em confirm para ser direcionado para a página de pagamento, que poderá ser realizado com cartão de crédito internacional.

Caso prefira comprar direto na bilheteria, basta seguir direto para o pé oeste sul da torre, onde a mesma funciona. Veja na imagem abaixo.

O base circulada da torre indica o local onde se localiza a bilheteria
Por fim, vale ressaltar o preço atual para os três tipos de ingresso. Falo em três, pois há a opção de subir a torre de escada, o que, obviamente, é mais barato.

Acesso de elevador até o segundo andar: 11 euros
Acesso de elevador até o topo: 17 euros (você pode deixar para pagar a diferença apenas no dia)
Acesso pelas escadas até o segundo andar: 7 euros 

Qual o horário de funcionamento da Torre Eiffel

O acesso à torre, de meados de junho até o início de setembro, funciona das 9 às 00:45h tanto de elevador quanto pelas escadas. Já no restante do ano, o elevador funciona das 9:30 às 23:45h e o acesso pelas escadas das 9:30 às 18:30h. 

Mais informações no website oficial da Torre Eiffel.


OBS:
1. Os preços indicados neste post correspondem aqueles em vigência na época da viagem. Recomendo pesquisar novamente os valores das atrações na época da sua viagem.

2. Este post não recebeu nenhum tipo de patrocínio

Nenhum comentário:

Postar um comentário