Menu

terça-feira, 10 de março de 2020

Nossa passagem por Tânger, no norte do Marrocos

Localizada na costa noroeste do Marrocos, Tânger é uma das cidades mais visitadas do país por uma razão simples: a sua proximidade com a Espanha. Afinal, ela se localiza na entrada do Estreito de Gibraltar que liga o Oceano Atlântico ao Mar Mediterrâneo e, assim, está a apenas 14 Km da costa espanhola.

Desta forma, muitos viajantes acabam unindo uma viagem pela região sul da Espanha, a Andaluzia, com uma passagem pelo Marrocos, bastando, para isso, apenas pegar um barco e atravessar o estreito. E Tânger, com seu porto e suas várias conexões com a Espanha (especificamente com a cidade de Tarifa) acaba sendo a cidade marroquina que recebe estes turistas.

Tânger

A maioria dos visitantes, no entanto, acaba fazendo de Tânger apenas uma passagem, indo de lá para Marrakech ou para outras cidades, como Chefchaouen e Fez. Para Marrakech, há trem saindo da estação ferroviária de Tânger, assim como para Casablanca e Rabat. Já para quem quiser ir para Fez, é possível pegar um ônibus da estação rodoviária. De lá também, saem ônibus para quem quiser fazer um bate-e-volta até Chechaouen, a Cidade Azul do Marrocos.

E, embora tenhamos passado duas noites em Tânger, acabamos também fazendo dela mais uma passagem estratégica do que uma cidade para se visitar, mas confesso que gostamos mais dela do que imaginávamos e gostaríamos de ter passado pelo menos mais um dia por lá.


Chegamos a Tânger vindos de Marrakech de trem, já de noite. No dia seguinte, tivemos poucas horas para explorar um pouco da cidade, antes de pegar nosso ônibus com destino a Chefchaouen, para onde fizemos um bate-e-volta. Na manhã do segundo dia já fomos direto para o porto pegar nosso barco com destino à Espanha.

Chegando na bonita e moderna estação de trem de Tânger vindos de Marrakech (a viagem durou cerca de 5 horas e o trem era confortável)

Como hospedagem, escolhemos ficar em um riad na medina de Tânger. Como teríamos pouco tempo e a medina fica perto do porto, esta acabou sendo a melhor estratégia. Há muitos hotéis na parte moderna da cidade, próximo ao calçadão que percorre a orla. Inclusive, esta localização ficaria mais próxima da estação de trem.

Mas ficar hospedado na medina nos permitiu mais uma experiência em um riad (amamos esta forma de hospedagem), nos permitiu passear um pouco pela medina antes de seguir para Chefchaouen e ainda fomos a pé até o porto, que ficava relativamente perto de onde nos hospedamos.

No entanto, é preciso escolher bem a localização do seu hotel se for ficar também na medina. Esta não é plana, já que fica em uma encosta de frente para o mar. Ao mesmo tempo que isto a torna ainda mais agradável, devido à vista que se tem do oceano de vários de seus pontos, pode também acabar tornando sua chegada um transtorno, já que o táxi não poderá transitar por todas as ruas.

A medina de Tânger fica numa encosta de frente para o mar e é rodeada por uma antiga muralha

Escolhemos, assim, o Riad Dar Jameel, localizado bem próximo à entrada da medina. O táxi conseguiu nos deixar a menos de 200 metros da entrada do hotel. Para completar, o riad era muito bonito e ainda tinha um terraço com vista para toda a cidade. Só não fomos tão bem recebidos como em outras hospedagens no Marrocos  (talvez porque já era quase meia-noite). 

Riad Dar Jameel

Além de muito bonito, era bem localizado

O porto de Tânger, localizado de frente para a muralha da medina e, relativamente, perto do nosso riad



Parte da medina vista do terraço no riad (ao contrário de Marrakech, cuja medina é vermelha, em Tânger, predomina o branco)


No dia seguinte, acordamos cedo para tentar conhecer um pouco da medina antes de pegarmos nosso ônibus para Chefchaouen. E confesso que gostei bem mais da medina de Tânger do que da de Marrakech. Talvez pela sua localização de frente para o mar. Talvez por ser cedo da manhã e tudo está ainda bem tranquilo, sem multidões ou vendedores nos assediando.

Começando nosso passeio pela medina de Tânger
Escadas são comuns pela medina


Achamos mais fotogênica do que a medina de Marrakech




Subindo as ladeiras e escadas a partir do nosso riad, chegamos ao Kasbah de Tânger, uma espécie fortificação que não poderia faltar em uma cidade histórica litorânea (ainda mais em um ponto tão estratégico). Das muralhas do Kasbah, é possível avistar o mar e o porto de onde chegam e partem os ferrys para a Espanha. E não precisa pagar nada para acessar as muralhas.

Entrando no Kasbah de Tânger

Prédios da medina vistos do Kasbah

No interior do Kasbah

Muito semelhante a qualquer fortaleza de frente ao mar


Com muralhas muito bem preservadas




Do Kasbah, fomos caminhando pelas ruas da medina até o famoso Cafe Hafa, um dos locais mais famosos e tradicionais da cidade, ponto de encontro de intelectuais, que se tornou atração turística de Tânger. E não para menos, a vista do café, estrategicamente posicionado na encosta de frente para o mar é, realmente, imperdível. 

Seguindo pela medina em direção ao Cafe Hafa

Fazendo amizade no caminho

Chegando ao Cafe Haifa

O cefé fica exatamente de frente para o mar

Dizem que em um dia claro, é possível ver a Espanha do outro lado do Estreito de Gibraltar

O café tem múltiplos ambientes em diferentes níveis e é bem agradável

Passamos um tempo ali, tomando um suco de laranja e um chá marroquino, antes de seguir até a estação rodoviária

Dizem que o por do sol visto do Cafe Hafa é sensacional, mas, infelizmente, não tivemos como ir até lá no final da tarde. No caminho até o café, partindo do Kasbah, ainda demos de cara com uma antiga necrópole, margeada por centenárias colunas arqueológicas (pelo que pesquisei, o local é de origem fenícia).

Placa indicando a necrópole

colunas antigas

O local é bem simples e não é pago


Conhecemos rapidamente e seguimos para o Cafe Hafa

Infelizmente, do Cafe Hafa tivemos que pegar um táxi até a rodoviária, pois não tínhamos mais tempo para explorar Tânger. E ficamos frustrados por não termos conseguido explorar algumas das atrações mais famosas da cidade: a Gruta de Hércules, o Farol do Cabo Espartel e o Parque Perdicaris. Todas estas atrações ficam distantes do centro e teria sido preciso pegar táxi até elas, mas acho que teria valido à pena. Sugiro que as inclua no roteiro. Com um dia inteiro dedicado a Tânger dará para conhecer tudo.

Uma opção aos táxis é este típico ônibus turístico. Vejam que a linha vermelha passa pelos pontos mais distantes, como a Gruta de Hércules, o Cabo Espartel e o Parque Perdicaris. Com a linha azul, o turista pode conhecer vários dos pontos mais centrais de Tânger.


Tânger merece mais do que servir apenas de intermediária entre a Espanha e outras cidades do Marrocos. Ousamos dizer, inclusive, que gostamos mais dela do que de Marrakech. Mas aí já uma questão de gosto pessoal e explicamos nosso motivo no post em que damos nossas dicas de Marrakech.


Saindo do porto de Tânger rumo à Tarifa, na Espanha, no dia seguinte.


Parte moderna de Tânger vista do ferry



OBS:
1. Este post não recebeu nenhum tipo de patrocínio

Nenhum comentário:

Postar um comentário