Menu

domingo, 23 de abril de 2017

Cape Town: dicas para aproveitar melhor a cidade

Fazendo uma analogia entre Brasil e África do Sul, Cape Town seria o Rio de Janeiro, cidade com a qual compartilha similaridades geográficas. Afinal, em ambas, a cidade se localiza entre o mar e as montanhas, promovendo um espetáculo visual, incluindo paisagens de tirar o fôlego e inúmeras praias que fazem a alegria dos turistas. Desta forma, ambas podem ser consideradas "Cidades Maravilhosas".

Cape Town, vista do alto da Table Mountain

E nós não poderíamos ter acertado mais em escolher a Cidade do Cabo como destino no carnaval de 2017. Emitimos nossas passagens com milhas da Latam (25 mil o trecho, saindo de São Paulo). E, então, montamos nosso roteiro, incluindo também uma viagem de carro pela costa sul do país, tendo Cape Town como início e final da nossa road trip.

Mas os relatos dessa nossa aventura ficarão para posts futuros. Agora, iremos focar em algumas dicas gerais para melhor aproveitar a incrível Cape Town.

Quantos dias ficar em Cape Town?


Eu aconselharia um tempo mínimo de 4 dias, para aproveitar com calma as principais atrações da cidade, incluindo um dia de bate-e-volta até o Cabo da Boa Esperança, um dos locais mais visitados da África do Sul.

Este tempo na cidade também é importante para tentar garantir ao máximo uma visita a sua mais famosa atração turística: a Table Mountain, uma das sete maravilhas naturais do mundo. Explico: como a subida de teleférico é extremamente dependente do clima (inclusive, dos fortes ventos que podem vir do oceano), é muito comum que o acesso seja interrompido, muitas vezes, por mais de um dia. Desta forma, quanto mais dias você passar na cidade, maior a sua chance de pegar o teleférico funcionando.

Além disso, algumas das atrações, como a própria Table Mountain, a Robben Island (onde Nelson Mandela foi mantido preso) e o Kirstenbosch Garden (o jardim botânico da cidade), podem requerer um turno inteiro do seu dia, não sendo recomendado encher o seu dia de atrações. Você também pode querer aproveitar e curtir uma ou mais praias da cidade (embora a água do mar seja geladíssima) e, para isso, você precisará de tempo.

Cape Town, definitivamente, não é uma cidade para ser vista às pressas!

Como é o clima em Cape Town?


Considero o verão (de dezembro a março) a melhor época para visitar a cidade, já que corresponde à estação com menos precipitações e com maior probabilidade de dias lindos de sol que vão permitir não apenas que você aproveite as belas paisagens locais e os incríveis pores do sol, como também que você tenha maior chance de subir a Table Mountain. Mas, como falei acima,  a cidade é conhecida pelos fortes ventos que, mesmo em dias abertos, podem levar ao fechamento do teleférico.

Visitamos a cidade em pleno verão e tivemos sorte com lindos dias de sol e céu azul. O inconveniente: altas temperaturas e sol de rachar. Portanto, não esqueça de forma alguma o filtro solar. E, mesmo no verão, recomendamos que você leve um casaco, já que, à noite, a temperatura cai um pouco e pode incomodar os mais intolerantes a temperaturas mais baixas. Além disso, já fora de Cape Town, pegamos um dia de chuva na África do Sul, quando a temperatura caiu para cerca de 20 graus.

O inverno vai de junho a setembro, com meses mais frios e mais chuvosos, de modo que você, obviamente, deve levar uma bagagem com mais agasalhos e, de preferência, providenciar um guarda-chuva. A vantagem: é a época em que as baleias chegam à costa sul-africana fugindo das águas geladas da Antártida, de forma que é a época ideal para avistar os maiores mamíferos da terra a partir do litoral do país (uma ótima cidade para isso: Hermanus, a cerca de 1:30h de carro de Cape Town).

Qual a moeda utilizada na África do Sul?


O país tem como moeda o rand, mas desvalorizado do que o nosso real. Na ápoca em que fomos, ele estava valendo, aproximadamente, um quarto do real brasileiro. 

O mais recomendado é que você leve dólar americano e faça o câmbio no próprio país. Pelo que pesquisei, sai mais em conta do que levar real para a troca. Fizemos o câmbio no próprio aeroporto e a cotação nos pareceu satisfatória. Você pode também utilizar o cartão de crédito, evitando, assim, a perda óbvia que ocorre após dois câmbios sucessivos (real para dólar e dólar para rand) ou até mesmo sacar os rands nos caixas ATM espalhados pela cidade.

Se o país é caro? Não achamos. Comemos muito bem e gastamos menos do que em bons restaurantes do Brasil. A gasolina parece ter um valor similar ao daqui. Souvenirs são bem em conta (e, em muitos lugares, negociáveis). Os hotéis tem valores justos e costumam ter excelentes serviços, incluindo excelentes guest houses em que ficamos ao longo da nossa road trip (em resumo: excelente custo-benefício). E, para quem gosta de compras, os shoppings da cidade (com destaque para o ótimo Victoria Wharf, localizado no  VeA Waterfront, uma agradável área pública de lazer a céu aberto à beira-mar) contam com lojas de marcas famosas com preços bem atrativos (ao que nos pareceu, melhores do que no Brasil).

Como são as tomadas na África do Sul?

Uma preocupação comum quando viajamos para algum país são as tomadas locais, já que ninguém quer ficar sem ter como carregar o seu celular e outros aparelhos eletrônicos, não é mesmo?

Na África do Sul, as tomadas são bem peculiares, como mostrado na foto abaixo. Nunca vimos tomadas desse tipo em outro país que visitamos. A boa notícia é que havia adaptadores em todos os hotéis em que estivemos.

Tomada na África do Sul


Qual o idioma falado na África do Sul?


São duas as línguas oficiais do país: o inglês e o africâner. Há também idiomas nativos locais, mas como, praticamente, todo mundo fala inglês nas áreas turísticas (lembrem-se de que a Inglaterra colonizou o país), a comunicação por lá é super fácil.

Como funciona o transporte em Cape Town?


A Cidade do Cabo não tem metrô ou trem, de forma que o transporte público fica limitado a 3 opções: ônibus, táxi e Uber. Com exceção da última opção (que utilizamos, na verdade, na cidade de Durban e que funciona da mesma forma que no Brasil), não utilizamos nem ônibus nem táxi no país, já que escolhemos a meio de transporte que consideramos e comprovamos ser o mais custo-efetivo: o carro alugado.

Havíamos, inicialmente, até considerado utilizar ônibus e táxis, deixando o carro alugado para o dia em que iríamos ao Cabo da Boa Esperança, de onde daríamos início ao nosso tour pela costa sul do país. No entanto, acabei percebendo que os gastos finais seriam quase idênticos ao de utilizar o carro desde a nossa chegada à cidade, já que o aluguel de um automóvel no país não é, de forma alguma, caro.

Mas se você tiver medo do principal obstáculo de quem pensa em alugar um carro por lá, a mão inglesa, você pode utilizar os ônibus. E há dois tipos deste meio de transporte em Cape Town:

1. Os turísticos (City Sightseeing Hop On Hop Off): aqueles ônibus típicos de primeiro andar que percorrem as principais atrações de várias cidades do planeta. Você pode ir descendo nas atrações ao longo do trajeto e pegando o próximo ônibus para seguir ao próximo destino. Na época da nossa viagem, estava custando 170 rands para 24h e 270 rands para 48h. A loja oficial da empresa fica no centro da cidade, na 81 Long Street (uma das mais conhecidas ruas de Cape Town). Para analisar os trajetos dos ônibus e organizar seu roteiro, aconselho acessar o site oficial. Das principais atrações turísticas da cidade, apenas o Kirstenbosch Garden fica fora da rota turística destes ônibus.

O ônibus turístico de Cape Town levando os turistas até o topo da Signal Hill para apreciar o por do sol ao final do dia


2. Os ônibus MyCiti: projetado em decorrência da Copa do Mundo que mobilizou a África do Sul, em 2010, o MyCiti corresponde a uma rede de ônibus que tem uma logística semelhante a um sistema de metrô, incluindo um cartão recarregável que pode ser adquirido para uso individual. Embora tenha a vantagem de ser mais em conta do que os ônibus turísticos e os táxis, tem a desvantagem de percorrer trajetos mais longos para chegar ao destino pretendido, de modo que o turista acabará perdendo mais tempo em uma cidade com tanta coisa para fazer. Para maiores informações, você pode visitar o site oficial do sistema de transporte.

Sem dúvidas, o aluguel do carro, além de barato, nos proporcionou uma flexibilidade e praticidade que compensou qualquer medo inicial com o sistema de mão inglesa do trânsito local. Mas falaremos mais sobre a experiência de dirigir pela África do Sul em um post específico para isso.

Cape Town é uma cidade segura?

Por mais que a excelente estrutura da cidade, com suas construções de bom gosto, suas ruas bem pavimentadas. seu trânsito organizado e suas calçadas bem cuidadas, façam parecer que você está em um país desenvolvido, temos que lembrar, no entanto, que a África do Sul é um país em desenvolvimento e, assim como o Brasil, enfrenta problemas de pobreza, corrupção e, consequentemente, segurança pública. E a gente acaba lembrando disso quando percebe que as casas são muradas e apresentam cerca elétrica.

Entretanto, a impressão que tivemos foi que a segurança em Cape Town parece ser melhor do que nas grandes cidades brasileiras, haja vista a quantidade de pessoas caminhando calmamente por áreas mais desertas da cidade, sem parecer muito preocupadas. Obviamente, há uma série de vieses nesta nossa percepção e não custa, portanto, lembrar que todo cuidado é pouco. Não há motivo para dar bandeira mesmo que uma sensação de segurança predomine.

Entendendo a geografia de Cape Town

Como expliquei no início deste post, a Cidade do Cabo é, estrategicamente, localizada entre o mar e as montanhas. Mas, para o turista, é importante entender como se dá esta disposição e quais as principais formações montanhosas e praias da cidade para montar o seu próprio roteiro.

Como visto no mapa abaixo, o Parque Nacional da Table Mountain (circulado) ocupa uma grande área da cidade. Outra formação montanhosa, bem menor, é a Signal Hill, famosa pelo por do sol visto do seu topo. Entre esta colina e a Table Montain, há um pico rochoso conhecido como Lion´s Head (foto abaixo). Contornados pelos retângulos vermelhos estão duas importantes áreas urbanas, o centro histórico da cidade (onde fica o Castle os Good Hope) e o V&A Waterfront, cais que se transformou numa popular área de lazer ao ar livre. Partindo desta última área, podemos ver, em ordem, 4 praias principais: Green Point, Sea Point (estas duas com poucas áreas de faixa de areia), Clifton Beach e Camps Bay (esta, a mais popular, famosa pelos chamados Doze Apóstolos, formação rochosa da face da Table Mountain voltada para o mar (foto abaixo). Mais afastado, na face oposta da Table Mountain, está o Kirstenbosch Garden (sublinhado em vermelho).

Mapa de Cape Town

A foto mostra as principais formações rochosas de Cape Town. Por trás da Lion´s Head está Camps Bay e os 12 Apóstolos (foto abaixo), em uma das faces da Table Mountain. A foto foi tirada do barco indo em direção a Robben Island

Camps Bay e os 12 Apóstolos

Vista do topo da Table Mountian

Já o Cabo da Boa Esperança fica ao sul da cidade (a cerca de 1:20h de carro), como mostrado no mapa abaixo:




É preciso visto para viajar para a África do Sul?


Não. Felizmente, não existe esta exigência para brasileiros entrarem no país.

A imigração, inclusive, é bem tranquila. Pouquíssimas perguntas nos foram direcionadas ao entrar no país. Vale ressaltar, inclusive, que esta imigração costuma ser feita em Joanesburgo, mesmo que seu destino final seja Cape Town. Portanto, provavelmente, seu voo incluirá uma conexão no aeroporto de Joanesburgo, onde você deverá pegar sua bagagem na esteira, passar pela imigração e pela alfândega e, então, despachar novamente a bagagem no check-in da companhia aérea (algo semelhante ao que acontece no Brasil, quando voltamos ao país fazendo conexão em São Paulo). O ideal é sempre se certificar com a companhia sobre a necessidade de pegar a bagagem no aeroporto de Joanesburgo.

É necessário vacina contra a febre amarela para visitar a África do Sul?


Sim. A África do Sul faz parte da lista de países que nos exigem o certificado internacional de vacinação contra a febre amarela. Embora o tenhamos levado, o documento não nos foi exigido nem no embarque no Brasil nem quando desembarcamos no país africano. No entanto, recomendo, fortemente, que ninguém se arrisque. E lembre-se: não basta se vacinar e levar o comprovante comum entregue no posto de vacinação; você precisa solicitar o certificado internacional na Anvisa. Explico tudo sobre como fazer isto neste post específico.

Espero que, com todas estas dicas, tenhamos facilitado sua viagem para este país e esta cidade incrível. Está esperando o que para se encantar com Cape Town?


OBS:
1. Os preços indicados neste post correspondem aqueles em vigência na época da viagem. Recomendo pesquisar novamente os valores das atrações na época da sua viagem.


2. Este post não recebeu nenhum tipo de patrocínio

Nenhum comentário:

Postar um comentário