Menu

sexta-feira, 20 de janeiro de 2017

Dicas práticas sobre Lyon, umas das maiores cidades da França

Confesso que, quando iniciei o planejamento da nossa viagem pela França, nem considerava colocar Lyon no roteiro. E sua inclusão, na verdade, acabou ocorrendo mais pela conveniência de usar a cidade como base para seguir até a região dos Alpes Franceses. A intenção inicial era seguir até Annecy e Chamonix (plano que, devido a uma série de imprevistos, teve que ser abortado durante a viagem). Apenas à medida que fui pesquisando sobre a cidade é que fui percebendo que ela teria muito a oferecer e, uma vez lá, não tive mais dúvidas de que Lyon é, sim, uma cidade a ser visitada com calma.

Lyon é a segunda maior cidade da França, capital da região Ródano-Alpes, importante pólo universitário do país e local rico em história. Afinal, a cidade foi fundada pelo Império Romano e a influência romana é, claramente, percebida na arquitetura da Vieux Lyon (a cidade antiga). E até mesmo um sítio arqueológico com ruínas galo-romanas é possível visitar na cidade, mais especificamente, no alto da Colina Fourvière, onde a antiga colônia italiana foi fundada.

Lyon vista da Colina Fourvière


A cidade é também berço de grandes artistas franceses, como Antoine de Saint-Exupéry, escritor do clássico O Pequeno Príncipe, e os Irmãos Lumiére, os criadores do cinema. Isto mesmo: a sétima arte surgiu em Lyon e um museu dedicado aos irmãos pode ser visitado na antiga casa dos mesmos. Como se não bastasse, a cidade mantém a tradição francesa da ótima culinária. E tudo isso a apenas 2 horas de trem a partir de Paris.

Nesta postagem, darei algumas dicas práticas sobre a cidade e, no próximo post, contarei como foi a nossa experiência por lá.

A geografia de Lyon


Lyon está localizada ao sul de Paris, próxima à região dos Alpes Franceses. É cortada por dois rios: o Ródano e o Saône, que dividem o centro da cidade em sua área mais antiga, Vieux Lyon, e sua área mais moderna. Entre os dois rios, há uma península, que alberga a principal praça da cidade, a Place Bellecour e uma das duas principais colinas de Lyon, a Croix Rousse. Já a Colina Fourvière fica na margem oposta do rio Saône, junto com a Vieux Lyon.

Mapa do centro de Lyon. Veja os dois rios: o Saône e o Ródano. Entre os dois, a península onde está a Place Dellacour. Na margem oposta do Saône, Vieux Lyon e a Colina Fourvière. Na margem oposta do Ródano, a parte mais moderna da cidade. A colina Croix-Rousse fica na parte norte da península entre os rios.


Como chegar em Lyon

É possível chegar em Lyon de 3 formas principais: dirigindo um carro alugado, de avião ou de trem.

O Aeroporto Lyon-Saint Exupèry fica a cerca de 30 Km do centro da cidade e há um serviço de transporte que o liga ao centro, o Tram Lyon Express, que vai do aeroporto até a estação de trem da cidade, a Part-Dieu, com apenas duas paradas no caminho. O trajeto é feito em menos de 30 minutos.

Para quem estiver percorrendo a França de trem, este é um meio de transporte prático e eficiente para se chegar a Lyon. Mas para se conseguir melhores preços, recomendo fazer a compra online com antecedência pelo site da SNCF. Foi o meio que escolhemos para chegar à cidade partindo de Paris, em um trajeto que demorou apenas 2 horas. Como a Gare Part-Dieu é abastecida pelo metrô da cidade (linha B), sendo, assim, fácil o acesso às atrações da cidade a partir dela, optamos por reservar um hotel próximo à estação. Até porque, no dia seguinte, pegaríamos o carro alugado na própria Gare Part-Dieu, o que facilitaria bastante a logística do nosso roteiro.

Como se locomover em Lyon

Lyon possui um sistema metroviário eficiente que te deixa em todos os pontos de interesse da cidade. São, ao todo, 4 linhas de metrô (de A a D), conectadas ainda a funiculares (como o que sobe e desce a Colina Fourvière - mais sobre isso abaixo) e linhas de tram (como o que se conecta com o aeroporto). Não sei se atende a todas as necessidades dos habitantes da cidade, mas para os turistas nos pareceu perfeito.

O ticket para uma viagem única custa 1,80 euros e pode ser adquirido em máquinas de auto-atendimento nas estações. Há também a possibilidade de comprar um lote de 10 tickets de uma vez, por 16,60 euros ou os tickets com validades de 24, 48 ou 78horas por 5,60 euros, 11 euros e 15 euros, respectivamente.

Para maiores informações, você pode visitar o site oficial do sistema de transporte público de Lyon.

Que atrações visitar em Lyon


Lyon tem mais coisas para se fazer do que se pode imaginar a princípio e, talvez, dois dias na cidade seja o mínimo suficiente para conhecer os principais pontos com calma.

1.Vieux Lyon: é o bairro antigo da cidade, com prédios históricos, ruelas charmosas, restaurantes e sorveterias e a bela Catedral de Saint-Jean-Baptiste (incluindo um antigo relógio astronômico no seu interior). Pela velha Lyon, é possível encontrar também os Traboules, antigas passagens secretas que permitiam que os habitantes seguissem de uma rua a outra através dos edifícios da cidade sem serem notados. 

A motivação histórica da existência dessas passagens não é completamente entendida. E, embora pareçam ser uma curiosidade interessante da cidade, elas não são fáceis de encontrar, podendo se confundir com a entrada de prédios residenciais (e nenhum turista vai querer entrar na propriedade alheia enquanto procura um Traboule, não é mesmo?). Confesso que tentei encontrá-las, mas não tive êxito. 

Posteriormente, encontrei este site que indica a localização de vários Traboules, como mostrado na imagem abaixo (retirada do www.lyontraboules.net). Se não quiser ficar, infrutiferamente, procurando por eles, como nós fizemos, programe-se através do link indicado.

Alguns dos Traboules de Lyon indicados pelos quadrados azul. Basta acessar o site www.lyontraboules.net de onde a imagem foi retirada e clicar no quadrado azul para saber a localização exata do Traboule.

Pelas ruas de Vieux Lyon


2. Colina Fourvière: é a colina nos pés da qual está a Vieux Lyon e, em cujo topo, a cidade foi fundada. Lá no alto, duas atrações podem ser visitadas: a Basílica de Fourvière e as ruínas galo-romanas, incluindo um antigo anfiteatro e um museu com artefatos encontrados no sítio arqueológico. Enquanto a primeira atração está exatamente no topo da colina, as ruínas, embora próximas da basílica, estão localizadas em uma de suas ladeiras.

Colina Fourvière e a Basílica de Fourvière no seu topo


Para acessar o topo da colina, basta pegar um funicular na estação de metrô Vieux Lyon, utilizando o mesmo ticket do sistema metroviário da cidade. Inclusive, uma vez chegando à estação de metrô, basta fazer baldeação para o funicular, sem precisar adquirir outro ticket. A subida dura cerca de 5 minutos. E você pode descer da mesma forma ou descendo a pé as ladeiras da colina (como nós fizemos).

E, mesmo que você não queira visitar nem a basílica nem as ruínas, vale à pena a subida para se ter uma vista panorâmica de toda a cidade de Lyon lá do alto (foto mostrada no início do post). 

3. Place Bellecour: uma das principais praças da cidade, cercada por prédios históricos, restaurantes e cafés. Não faz parte exatamente da Vieux Lyon, estando, na verdade, na península entre os dois rios . O seu entorno, no entanto, acaba sendo uma ótima opção para se hospedar, uma vez que a região permite fácil acesso aos principais pontos turísticos da cidade, sendo plenamente possível ir caminhando até Vieux Lyon.

Place Bellacour

No centro da praça, vê-se a estátua equestre de Luís XIV. Já, a sua volta, é possível encontrar uma estátua em homenagem a Antoine de Saint-Exupéry, um dos filhos mais ilustres da cidade. O escritor é representado vestindo roupa de aviador e, ao seu lado, está seu famoso personagem, o Pequeno Príncipe. No mapa abaixo, mostramos a localização exata da estátua, a qual tivemos dificuldade em encontrar, já que um ônibus turístico bloqueava a sua visão a partir da praça.

O círculo vermelho mostra exatamente a localização da estátua de Saint-Exupéry, em um canteiro no lado da Place Bellacour voltado para o rio Saône. Note também, no mapa, exatamente no lado oposto à estátua, a localização do escritório de turismo de Lyon.

Aqui, a vista aérea do google maps mostrando o canteiro onde se encontra a estátua

Estátua de Saint-Exupèry e o Pequeno Príncipe


4. Musée Lumière: considerados pais do cinema, Auguste e Louis Lumière patentearam o cinematógrafo (que filmava e projetava filmes) e filmaram, em Lyon, os primeiros filmes da história. A mansão onde eles viviam é, hoje, um museu dedicado a eles. Nos jardins e muros do museu, há várias fotografias referenciando inúmeros filmes e diretores da história do cinema. A rua ao lado do museu é chamada de Rue du Premier Film.

O mapa mostra a localização do Musée Lumière. Perceba que há uma estação de metrô bem próxima ao museu, a Monplaisir-Lumière, que alberga a linha D.

Referência aos Irmãos Lumière logo na saída da estação de metrô

Musée Lumière

Rue du Premier-filme



Para aqueles que pretendem visitar a cidade em dezembro, estejam atentos para o famoso Festival das Luzes (ou Fête des Lumières) de Lyon, quando a cidade e seus prédios ganham uma iluminação especial, uma espécie de espetáculo de luzes, e que faz bastante sucesso entre os turistas. Costuma ocorrer por alguns dias em torno do 8 de dezembro. Para se programar e saber as datas e a programação exata, você pode visitar o site oficial.

Comendo em Lyon

Lyon, como não poderia deixar de ser para uma cidade francesa, faz bonito quando o assunto é gastronomia, tendo ainda a particularidade de ter um tipo de restaurante para chamar de seu: o Bouchon.

Estes restaurantes são especializados na típica cozinha da cidade, em geral, focada em carnes, como salsichas e carne de porco. Em geral, são restaurantes com pratos mais econômicos e com menus específicos compostos por entrada, prato principal e sobremesa a preços bem acessíveis. Há, no entanto, os estabelecimentos considerados autênticos, os Bouchons "de verdade", já que inúmeros outros restaurantes da cidade se utiliza do termo Bouchon, embora não sejam oficialmente certificados como tal. Neste site, tem a lista dos atuais 22 restaurantes que, atualmente, são certificados.



PARA SE PLANEJAR:

1. Musée Gallo-Romain

Horário de funcionamento: abre de terça a domingo, das 10 às 18 horas (fechado nas segundas).
Entrada: 4 euros (gratuito nas quintas)
Como chegar: através do funicular que parte da estação Vieux Lyon

2. Musée Lumière

Horário de funcionamento: abre de terça a domingo, das 10 às 18:30 horas (fechado nas segundas).
Entrada: 7 euros (áudio-guia custa 3 euros)
Como chegar: de metrô (linha D) até a estação Monplaisir-Lumière
Site oficial: http://www.institut-lumiere.org/


OBS:
1. Os preços indicados neste post correspondem aqueles em vigência na época da viagem. Recomendo pesquisar novamente os valores das atrações na época da sua viagem.

2. Este post não recebeu nenhum tipo de patrocínio

Nenhum comentário:

Postar um comentário