Menu

sexta-feira, 23 de novembro de 2018

Visitando Volterra, pequena cidade medieval da Toscana

Localizada na província de Pisa, no topo de uma colina, encontra-se a pequena e antiga cidade de Volterra, cuja origem remonta a algum século antes de Cristo. Mantendo sua estrutura medieval, que transporta o número ainda relativamente pequeno de turistas para algum tempo muito antigo, a cidade foi um dos 12 centros urbanos do povo itálico conhecido como Etruscos, que habitaram parte da região que, hoje, conhecemos como Toscana.

A bela Volterra


Além da sua preservada arquitetura medieval, também chama a atenção a sua posição no topo de uma colina, o que, além de propiciar uma linda vista para o vale que a envolve, ainda enche as ruas de Volterra de ladeiras. Mas não se assuste: o centro histórico é pequeno e, mesmo com algumas descidas e subidas, você não se cansará muito.

Em relação à cidade de Pisa, Volterra dista cerca de 70 Km. Já se você estiver em Florença, poderá chegar à cidade após 80 Km de estrada e, se estiver em San Gimignano ou Siena, serão 30 e 55 Km, respectivamente. 

Nós estávamos em Lucca e pegaríamos estrada até San Gimignano. Considerando a proximidade desta última com Volterra, não resistimos e saímos da primeira, percorrendo 73 Km para uma rápida passagem pelo antigo centro etrusco. Já relatamos como foi a nossa visita a Lucca em outro post.



A caminho de Volterra



Mapa mostrando o nosso trajeto entre a cidade de Lucca e Volterra, pequena cidade medieval localizada na província de Pisa


Para chegar ao centro de Volterra, tivemos que dirigir colina acima, já que o centro histórico fica exatamente no topo. Nossa maior preocupação era se haveria ou não estacionamento lá no alto. Se parássemos antes, teríamos que subir o restante a pé e, portanto, resolvemos arriscar.

Felizmente, logo na entrada no centro histórico, encontramos um estacionamento subterrâneo. Mostro, no mapa abaixo, a localização exata. O local é pago, mas não através de paquímetro como nos outros estacionamentos que encontramos pela Toscana. Neste caso, você deve mostrar o ticket a um funcionário no momento da saída e realizar o pagamento correspondente ao tempo de uso do estacionamento. A grande vantagem é não precisar adivinhar o tempo que permanecerá estacionado como acontece quando utilizamos o paquímetro.


O mapa mostra a localização do estacionamento subterrâneo em Volterra, localizado no topo da colina, na entrada da cidade antiga. Chama-se Parcheggio La Dogana e se localiza no final da Viali dei Ponti. Seguindo de carro por esta rua, a entrada do estacionamento fica à sua direita.

Infelizmente, Volterra não possui estação de trem, o que dificultará a sua visita caso não esteja de carro. A boa notícia é que há ônibus saindo da estação ferroviária de uma pequena cidade (Pontedera) nos arredores da cidade de Pisa e que deixa o turista na entrada do centro histórico de Volterra. 

Portanto, se você estiver em Florença ou em alguma outra cidade da Toscana, pode pegar um trem até Pisa, descendo na estação de Pontedera e, uma vez lá, comprar um bilhete de ônibus em máquinas de auto-atendimento. Se estiver em Pisa, deve pegar o trem na estação central até Pontedera.

A linha de ônibus partindo para Volterra é a 500 e o trajeto dura cerca de uma hora e 15 minutos. Para checar os horários, tanto de ida quanto de volta, você pode acessar este link e procurar a linha 500.

Sem dúvida, no entanto, a forma mais prática de se chegar à cidade é de carro. 

Após estacionar o nosso, seguimos caminhando pelas históricas ruas de Volterra, encantados com as ruas de pedra e com os prédios monocromáticos erguidos com pedras e mantendo a sua arquitetura medieval preservada.

Antes de entrar no centro histórico, os turistas costumam parar para apreciar o vale lá embaixo


Estávamos de frente para a entrada do estacionamento, apreciando a beleza da região em volta de Volterra
Acessando o centro histórico


Aquele prédio com uma torre é o Palazzo dei Priori, um dos mais importantes da cidade

As construções da cidade têm pequenos detalhes que fazem a diferença

Flores nas fachadas é item básico na Toscana


Ruas bem mais tranquolas do que em outras cidades da Toscana. Volterra ainda está sendo descoberta pelo turismo


Pela sua beleza, acredito que logo estará repleta de turistas. 

Logo chegamos à principal praça de Volterra, a Piazza dei Priori. Nela fica o Palazzo dei Priori, um dos prédios mais importantes da cidade. 

Piazza dei Priori


Toda envolta por prédios históricos



Se quiser ver igreja, elas não poderiam faltar na cidade, com destaque para a sua Catedral (Cattedrali de Santa Maria Assunta) e seu Batistério. Confesso que, como resolvemos ir a Volterra de última hora, nem lembramos de procurar a catedral. Mas ela fica bem próxima à Piazza dei Priori.

Continuamos caminhando e, pelas ruas, não faltavam restaurantes e sorveterias. Não resistimos a nenhum dos dois. Escolhemos um restaurante na Piazza dei priori para almoçar uma típica massa italiana e, de sobremesa, nos deliciamos com mais um gelato (o segundo do dia). O sorvete italiano é mesmo o melhor do mundo!

Desbravando as ruelas da cidade, antes do nosso almoço





Após o almoço, resolvemos seguir até uma das principais atrações de Volterra: um antigo Teatro Romano. Este foi descoberto na década de cinquenta e fica, estrategicamente, localizado, no ponto mais alto da colina que alberga a cidade, conhecido, assim, como Acrópole Etrusca.

Portanto, para chegar até lá, você terá que subir uma ladeira (a Via di Castello) que vai te levar até uma grande e agradável área verde, onde está localizado o parque arqueológico da cidade.

Chegando ao parque arqueológico de Volterra


Um parque verde extremamente agradável

Sinalização mostrando a direção para se chegar à acrópole


Volterra vista do parque arqueológico

Como é possível ver nas fotos acima, chegamos até o local, mas, por motivos de "piriri" tivemos que voltar correndo antes de chegar ao antigo teatro para encontrar um banheiro. Infelizmente, pelo adiantado da hora, optamos por não mais retornar e seguimos viagem até San Gimignano.

Uma pena não termos conhecido uma das principais atrações da cidade. Dizem que a vista da acrópole é linda. Culpa de um intestino revoltado!!

Para os fãs da saga de livros Crepúsculo, vale lembrar que Volterra corresponde a um dos cenários da obra de ficção, na qual surge como lar de um importante grupo de vampiros. Um dos filmes baseados nos livros tem cenas que se passam na cidade, embora, pelo que pesquisei, elas não tenham sido filmadas exatamente por lá. Mas vale a curiosidade.

Por fim, vale ressaltar uma das principais marcas de Volterra: o alabastro, uma espécie de cerâmica extraída nos limites da cidade e que serve para a fabricação de inúmeros ornamentos, bastante comercializados por lá. Você, portanto, encontrará lojas com produtos à base de alabastro em Volterra. Os produtos são belíssimos e de muito bom gosto, de modo que não resistimos e acabamos comprando uma pequena peça.

Bom que, hoje, temos uma bela lembrança desta encantadora cidade em nossa casa.


Volterra valeu o desvio no roteiro



OBS:
1. Este post não recebeu nenhum tipo de patrocínio

3 comentários:

  1. Itália é um dos lugares mais fascinantes que eu já conheci! Fiz uma visita super rápida de dois dias em Florença e fiquei com vontade de conhecer mais. Quando eu voltar, certeza que vou para Volterra agora também! =)

    ResponderExcluir
  2. Adorei o post, dicas muito completas, mas me tirem uma dúvida: o que influenciou a decisão de vocês por visitar Volterra foi a proximidade ou acharam que é uma cidade que merecia a visita realmente?

    ResponderExcluir
  3. Morro tanto de vontade de conhecer essas cidades menos famosas, amei o clima medieval. Eu não dirijo e sempre tem essas cidades que ficam mais difíceis de acessar, adorei que colocaram a opção do onibus, visto que não existe trem. Obrigada pelas informações.

    ResponderExcluir