Menu

domingo, 27 de setembro de 2015

TOP 5 - Melhores passeios de barco

Sempre que viajamos acabamos nos deparando com inúmeras formas de transporte seja com o objetivo de chegar a determinado destino seja com o simples intuito de experimentar novas sensações e experiências. E, assim, diferentes meios de transporte, como trens, helicópteros, barcos e teleféricos acabam fazendo parte da sua viagem. E, às vezes, de modo até inesperado, acabam te fornecendo uma experiência inesquecível. Dentre estes meios de transporte, os navegáveis, como barcos, navios e ferryboats, estão entre os mais comuns, permitindo que o turista conheça uma determinada cidade a partir da navegação do seu rio, percorra ilhas deslumbrantes que não podem ser acessadas de outra forma ou até mesmo viva a fantástica experiência de um cruzeiro turístico. 

Quando criança, entrar em um barco era algo fora de cogitação para mim. Talvez eu não entendesse que o prazer da viagem poderia superar qualquer tipo de medo que o transporte pudesse me causar. Felizmente, a partir da idade adulta, conseguir driblar mais este receio, o que me permitiu vivenciar inesquecíveis momentos ao navegar rios, lagos e mares. Neste post, listo os cinco passeios de barco/navio que mais me encantaram pela beleza e sensações que despertaram. Lembrando que a ordem abaixo não representa uma ordem de preferência.


1.Vaporetto pelo Grande Canal de Veneza / Itália: aqui está uma excelente dica para quem estiver na belíssima Veneza. Como todos devem saber, a cidade é cortada por inúmeros canais, sendo o Grande Canal uma espécie de Avenida Principal que atravessa toda a cidade, percorrendo os principais pontos de interesse e passando pelas 4 belas pontes que atravessa o canal. Há duas formas de percorrer Veneza: a pé, por suas pontes e ruelas; ou atravessando seus canais, utilizando gôndolas, lanchas ou os vaporettos. Estes últimos são uma espécie de ônibus aquático que funciona como transporte público. Custa 7 euros o trecho. E a dica fundamental é: percorra toda a cidade a pé, descobrindo suas pontes, suas igrejas, suas vielas, seus restaurantes, até chegar à famosa Piazza de São Marcos. A partir daqui, você, já cansado, pode pegar o vaporetto (escolha o número 1) e, assim, retornar navegando pelo Grande Canal. Um novo ponto de vista de Veneza se revelará aos seus olhos. Percorrer o canal principal da cidade, em forma de um S invertido, é um programa imperdível em Veneza. Permite que você descanse do passeio já realizado, sem deixar de apreciar as inúmeras belezas da cidade.

Como dica, sugiro que você faça como eu e fique no lado externo do barco, o que permite uma melhor visibilidade. E, se possível, deixe para fazer este passeio no fim da tarde, durante o pôr do sol. Os raios solares por trás das belas construções venezianas tornarão a navegação pelo grande Canal uma experiência ainda mais mágica.









2. Travessia dos Lagos Andinos / Chile e Argentina: o famoso passeio de barco pela região dos lagos e vulcões da Patagônia chilena e argentina é imperdível, espetacular e inesquecível. Pode ser feito nos dois sentidos: começando em Puerto Varas, no Chile, e terminando em Bariloche, na Argentina; ou vice-versa. No meu caso, fiz o passeio no primeiro sentido durante o verão, o que não significa, exatamente, sol. Afinal, a Patagônia corresponde a uma das regiões mais chuvosas do planeta. A vantagem de fazer a travessia no verão, no entanto, é que, como o dia é mais longo, todo o trajeto pode ser feito no mesmo dia, enquanto, no inverno, é preciso pernoitar em uma das ilhas do caminho (a ilha de Peulla). Durante o verão, a parada nessa ilha é feita na hora do almoço para que possamos comer antes de seguir viagem.

Como deu para perceber, a travessia dura um dia inteiro e, para quem imagina que todo o trajeto envolve apenas um barco, está enganado. Durante a travessia, trocamos de barcos e ônibus ao longo do dia inteiro. Para quem estiver saindo da cidade chilena de Puerto Varas, um ônibus turístico nos pega no nosso hotel, fazendo uma parada nos incríveis Saltos del Petrohue com o ilustre vulcão Osorno ao fundo. Depois, seguimos no mesmo ônibus até o cais, onde pegamos o primeiro barco que percorrerá o Lago Todos los Santos, um belíssimo lago com água de cor esmeralda vigiado pelos estonteantes vulcões Osorno e Pontiagudo. A esta altura, toda a beleza da região já faz as cerca de 12 horas de travessia valer a pena. Chega-se, então, à ilha de Peulla, onde, após o almoço, se segue de ônibus, passando pela imigração chilena e atravessando a fronteira com a Argentina. Paramos em Puerto Frias, onde passamos pela imigração argentina e pegamos o segundo barco que, agora, navegará o Lago Frias, em um trajeto tão belo quanto os anteriores. Chegando a Puerto Alegre, um novo ônibus nos leva até Puerto Blest, de onde parte-se a última e não menos estonteante navegação, agora pelo lago Nahuel Huapi. Aqui, além das inúmeras belezas naturais para se apreciar, é possível também alimentar as gaivotas que sobrevoam o barco. O passeio termina, então, em Bariloche, onde um ônibus nos deixa em nosso hotel na cidade.

Embora pareça cansativo, a travessia vale muito à pena, uma vez que seus olhos nunca se cansam com o tamanho da beleza de toda a região. Para aqueles que pretendem visitar apenas um dos lados da região, é possível fazer passeios apenas pelos lagos Todos los Santos, no Chile, ou Nahuel Huapi, na Argentina. Aqui deixo o link do Cruce Andino, no qual pode-se ver valores e fazer reserva do passeio. O mesmo trajeto entre Puerto Varas e Bariloche pode ser feito numa viagem terrestre de cerca de 6 horas, mais barata, mas muito menos estonteante.

Saltos del Petrohue - Chile

Lago Todos los Santos - Chile

Vulcão Osorno - Chile

Ilha de Peulla - Chile

Lago Frias - Argentina

Lago Nahuel Huapi - Argentina

Chegando em Bariloche - Argentina
3. Escuna em Angra dos Reis /  Brasil: saindo da cidade do Rio de Janeiro, você gasta entre duas e duas horas e meia para chegar ao município de Angra dos Reis. A cidade em si não tem nada demais, mas o que realmente vale a visita são os passeios de barco que partem do cais da cidade diariamente. Angra possui cerca de 97 ilhas em toda a sua extensão, algumas pertencentes a celebridades e outras públicas e possíveis de visitação. E o visual é incrível. Você percorre as belíssimas ilhas, podendo descer em algumas delas, mergulhar em alguns pontos específicos e se deliciar com a encantadora paisagem ao seu redor. Difícil saber para onde olhar. No meu caso, o passeio foi feito em família o que tornou a experiência ainda mais agradável. Um dia inesquecível.

O valor do passeio varia de acordo com a agência contratada, o que pode ser feito no próprio cais no momento da sua chegada. O passeio é feito em uma escuna com motor a diesel. O trajeto é demorado (dura cerca de 6 horas), inclui parada em alguma ilha para almoço (podendo ser incluso ou não no valor do passeio, dependendo da agência contratada) e tem como um dos pontos altos a parada na Ilha Grande, a maior ilha do arquipélago.

Infelizmente, não consegui encontrar as fotos do passeio realizado em 2007.


4. Barco em Cinque Terre / Itália: ainda não muito presente nos roteiros turísticos clássicos que incluem os destinos italianos, a região de Cinque Terre, com certeza, merece uma visita. Considerada Patrimônio da Humanidade pela Unesco, essa região, localizada na costa oeste ao norte da Itália, corresponde a cinco vilarejos incrustados no relevo montanhoso que repousa sobre o mar. Com suas pitorescas casas coloridas, estas vilas de pescadores se tornaram um ponto que, hoje, sobrevive especialmente do turismo na região. São cinto vilarejos, como o nome da região sugere: Monterosso, Vernazza, Corniglia, Manarola e Riomaggiore. Como meu tempo era curto e não daria para conhecer os cinco vilarejos, optei por pegar um barco na primeira das cinco vilas, Riomaggiore, e seguir navegando até a última, Monterosso. E esta se mostrou ser uma ótima escolha.

O passeio de barco pela costa é belíssimo e permite uma visão privilegiada dos cinco vilarejos. Para chegar até a região, a melhor forma é por via ferroviária. Há estações de trem nos cinco vilarejos, sendo ainda possível percorrê-los a pé, através de uma trila sobre as encostas. A cidade mais próxima de Cinque Terre é La Spezia, para onde você pode seguir de trem e de onde partirão os trens para Cinque Terre.

Confesso que, embora tenha pesquisado antes sobre a região, não a havia incluído no roteiro final da Itália. Apenas quando já estava em Florença bateu a vontade gigante de tirar uma parte do dia seguinte para ir de trem até Cinque Terre. Assim o fiz e não me arrependo nem um pouco.











5. Cruzeiro pelas Ilhas Gregas / Grécia: desejo de 5 a cada 5 turistas que sonham em conhecer a Grécia, um passeio de barco ou de navio pelo Mar Mediterrâneo é, sem a menor sombra de dúvidas, um passeio imperdível. Apenas navegar por aquele mar com uma cor azul-turqueza absurdamente linda, com vista para inúmeras ilhas de importância histórica milenar, já seria fenomenal. Ter, no entanto, a possibilidade de descer e percorrer algumas dessas ilhas torna tudo ainda mais fantástico.

Saindo do famoso Porto de Pireu, em Atenas, há inúmeras possibilidades de transportes navegáveis pelo Mar Mediterrâneo. Escolhi seguir em um Cruzeiro de duas noites que me permitiu descer em 4 fantásticas ilhas (Mikonos, Patmos, Creta e Santorini), além de conhecer um pouco da Turquia, descendo no porto de Kusadasi. A grande desvantagem é possibilitar pouco tempo das ilhas e, pelo menos às ilhas de Mikonos e Santorini, pretendo retornar algum dia para passar uma ou duas noites e, assim, aproveitar mais de suas belas praias. Na Ilha de Patmos, onde o Apóstolo João viveu parte da sua vida, tem-se também um visual fantástico e é possível visitar a caverna onde João teria escrito o Apocalipse. Na Ilha de Creta, é possível visitar as ruínas do palácio de Knossos, onde se teve origem o mito do Labirinto do Minotauro e considerada um dos berços da civilização ocidental moderna.

De todos os passeios que fiz nos meus 5 anos de viajante inveterado, este foi, certamente, um dos mais bonitos de todos.


Mikonos


Patmos

Creta


Chegando em Santorini

Santorini



OBS:
1. Os preços indicados neste post correspondem aqueles em vigência na época da viagem. Recomendo pesquisar novamente os valores das atrações na época da sua viagem.
2. Este post não recebeu nenhum tipo de patrocínio

Nenhum comentário:

Postar um comentário