Menu

sábado, 26 de setembro de 2015

Conhecendo a Cidade do Panamá durante uma conexão de 12 horas

No dia 06/08/14, pegamos um avião da empresa Copa Airlines (companhia aérea do Panamá) com destino à cidade de Nova York. Havia, no entanto, um inconveniente: 12 horas de espera pela conexão no aeroporto da Cidade do Panamá. Como tentar amenizar este enorme tempo de espera? Aproveitando para passear pela cidade, claro!!

Como eu sabia que estaríamos cansados (tem algo que canse mais o indivíduo do que avião e aeroporto??) optei por pesquisar na internet algum serviço que fizesse um tour pela cidade partindo do aeroporto. Li indicações sobre Sr. Orville Kelly, que oferece um carro particular para pegar turistas no aeroporto, passear com eles pelos pontos turísticos principais e terminar o tour deixando-os de volta no terminal aéreo, com tempo para pegar o vôo de conexão. Combinei tudo por e-mail, deixando acertado a hora de chegada, valor do tour e tempo do trajeto. Combinamos 6 horas de passeio no valor de 40 dólares por pessoa. O carro é confortável e com ar condicionado (algo essencial para o clima quente e abafado da cidade), o motorista (que não era exatamente o senhor com quem combinamos o tour, mas um colega do mesmo, igualmente confiável) sugere trajetos e é bem flexível e todo o tour é feito com segurança. Para quem tiver interesse, o e-mail é: kellyorvill@yahoo.com

Os locais de interesse que incluímos no tour foram: o Canal do Panamá, o Centro Histórico, a Cinta Costeira e Panamá Viejo. Infelizmente, por problemas tecnológicos, perdemos a maior parte das fotos da nossa passagem pela Cidade do Panamá.

Saímos do aeroporto, em torno das 10 h da manhã, com destino ao Canal do Panamá, principal e mais famoso ponto turístico da região. E logo no caminho, percebemos algo bem interessante: a cidade, com suas construções  e prédios modernos lembrava bastante os Estados Unidos, especialmente, a Flórida, o que não é de causar espanto, considerando a enorme presença e influência americana no país, especialmente, durante a construção do canal, que ficou sob o controle americano até o ano de 1999. A Cidade do Panamá não parece em nada com a imagem que você possa ter de uma cidade da América Central e seu crescimento já rendeu, inclusive, o título de "Dubai Latina" para a capital panamenha.

Em relação à moeda, embora a oficial seja a balboa, o dólar americano é muito mais utilizado e muito bem aceito em qualquer estabelecimento, não havendo necessidade de conversão. Vale ressaltar que a balboa tem cotação idêntica ao dólar americano.

Ao visitar o Canal do Panamá, ao lado do Pacífico, você pode escolher entre dois grupos de eclusas: Miraflores e Pedro Miguel. A primeira é a mais próxima do centro da cidade e do aeroporto e, logicamente, foi escolhida por nós. O ingresso no Centro de Visitação de Miraflores custa 15 dólares (valor não incluso no tour contratado) e permite o acesso ao mirante e ao museu que conta a história da construção do canal.

Para quem não sabe, o Canal do Panamá é um dos projetos de engenharia da humanidade mais complexos e de  mais difícil execução e tem como objetivo estabelecer uma rota de comunicação entre os Oceanos Pacífico e Atlântico, facilitando, assim, a travessia comercial de navios, que, desta forma, economizam em tempo e em dinheiro (mesmo que cada navio tenha que pagar uma determinada quantia ao país para poder ter sua travessia garantida). Durante o trajeto, há três pontos estreitos de retenção, as eclusas, que permitirão a passagem dos navios a partir de mudanças dos níveis da água possibilitadas pelo maquinário do lugar.







A partir do mirante, é possível ver a travessia de um navio e a forma de funcionamento das eclusas. Confesso que eu esperava mais e, por mais que seja algo realmente grandioso do ponto de vista da engenharia, eu não achei tão interessante. Entretanto, esta impressão pode ter sido influência do enorme cansaço que eu estava sentindo em virtude de não ter dormido nada no avião durante a madrugada de viagem, o que, combinado ao calor extremo que fazia no dia, só me fazia querer voltar correndo para o ar condicionado do carro. No entanto, ainda conhecemos a exposição sobre o canal presente no mesmo prédio e na qual é possível se ter uma ideia sobre a história da sua construção, entender um pouco como ocorre seu funcionamento atual e apreciar a fauna encontrada na região do Canal do Panamá. E, embora eu não tenha realmente me empolgado com este passeio, o recomendo a todos que estiverem passando pela cidade do Panamá. Afinal, corresponde a uma das maiores obras de engenharia da humanidade.

Saindo do Canal do Panamá, seguimos para o Centro Histórico da cidade. E já adianto que este foi meu ponto preferido da capital panamenha. Embora lembre a maioria dos centros históricos da América Latina, aqui percebi um cuidado especial da população com as construções históricas. Atualmente, todo o centro vem sendo submetido a um processo de restauração que tem dado um charme especial ao lugar, com suas ruas estreitas e prédios históricos coloridos. Inúmeras lojinhas de souvenirs podem ser encontradas nesta área, incluindo locais onde se pode adquirir os famosos chapéus-panamá a preços mais em conta que no aeroporto (aqui vale um adendo: embora largamente vendido na capital panamenha, o chapéu-panamá tem, na verdade, origem no Equador). Também, no centro histórico, é possível ter uma linda vista da parte moderna da capital e seu skyline.




Seguimos o passeio por uma região recentemente renovada da capital: a Cinta Costeira, uma extensa área pela orla da Cidade do Panamá, onde um agradável calçadão permite a prática de exercício pelos moradores e turistas, além de permitir uma excelente visão dos enormes e modernos prédios que compõem a moderna capital panamenha. É possível também avistar a Ponte las Américas, que liga os dois lados do Canal do panamá. Ali próximo, na Calzada de Amador, passamos em frente ao Biomuseo, o museu da biodiversidade de Panamá, com uma bela arquitetura. Infelizmente, o prédio estava ainda ao fim de sua construção. Atualmente, ele já pode ser visitado e, acredito, que deve vale à pena.

Nossa última parada foi nas ruínas de Panamá Viejo ou cidade antiga, local onde nasceu a Cidade do Panamá e que foi destruída por um incêndio, provocado por um pirata inglês, em 1671. Atualmente, no local, vemos apenas ruínas da cidade antiga dentro de um sítio arqueológico, com destaque para uma torre (a Torre da Catedral), a qual é possível subir e avistar a cidade e o Pacífico. O ingresso custa 7 dólares e você pode ter acesso ao museu formado pelos artefatos históricos encontrados nos locais de escavações.



Chegava ao fim nosso passeio pela Cidade do Panamá. Confesso que me surpreendi com a cidade, especialmente com a beleza e modernidade de seus prédios, e gostaria de ter passado pelo menos uma noite na cidade. Para todos que tiverem que fazer uma conexão prolongada no aeroporto da capital panamenha, recomendo fortemente que contrate algum tour nem que o tempo só possibilite a visita ao famoso Canal do Panamá.

PARA SE PLANEJAR:

1. Centro de Visitação de Miraflores (Canal do Panamá)

Abre diariamente das 9 às 16:30h
Entrada: 15 dólares
Como chegar: de táxi ou de tour contratado 

2. Biomuseu

Abre segundas, quartas, quintas e sextas das 10 às 16h e sábados e domingos das 10 às 17h
Entrada: 22 dólares
Como chegar: de táxi ou de tour contratado

3. Panama Viejo

Abre das terça aos domingos das 8:30 às 16:30h
Entrada: 7 dólares
Como chegar: de táxi ou de ônibus (rotas especificadas no site oficial)

OBS:
1. Os preços indicados neste post correspondem aqueles em vigência na época da viagem. Recomendo pesquisar novamente os valores das atrações na época da sua viagem.
2. Este post não recebeu nenhum tipo de patrocínio


3 comentários:

  1. Estive no Panamá dia 28 deste mês em uma conexão longa como a da relato. Fiz contato com esse senhor Orville e a experiência foi péssima. O carro estava caindo aos pedaços e como guia ele é terrível! #arrependimento

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Que pena saber disso :( quando formos, ele nos forneceu um carro novo e confortável. Mas é bom saber o que aconteceu com vc para prevenir outras pessoas. Muito obrigado por vir informar aqui!!

      Excluir
  2. No dia 28/01/18,passamos o dia conhecendo a cidade com o sr. Orville. Realmente o carro é bem antigo, mas tem ar-condicionado. Importantíssimo!!!
    Como conentei com meus filhos, achei o carro bem folclórico!!
    Gostei muito do sr. Orville e achei que ele foi muito atencioso. Conversou bastante e nos explicou tudo o que tinhamos dúvidas.

    ResponderExcluir